opinião

Amazonas- Dar um tiro no pé é o mesmo que impedir-se de chegar aos lugares, é roubar a oportunidade que a vida proporcionam. No caso da oposição, na ALE, o comportamento é coletivo e não individual

Oposição dá tiro no próprio pé, sobre reajuste a Pms, no Amazonas

Amazonas- A manobra da oposição para tentar prejudicar o novo governo do Estado, que, após anos, foi o primeiro da conceder reajuste salarial a várias categoria, é um tiro no próprio pé. Vai se queimar, denegrir sua própria imagem, prejudicar a si própria.

Poucos seriam aqueles que teriam coragem de disparar um tiro sobre o próprio pé. Os pés são os responsáveis pelo caminhar, pelo ir adiante. São as partes do corpo que levam as pessoas aos lugares em que elas conscientemente querem ou que, por alguma razão oculta, inconscientemente, não querem. Dar um tiro no pé é o mesmo que impedir-se de chegar aos lugares, é roubar a oportunidade que a vida proporcionam. No caso da oposição, na ALE, o comportamento é coletivo e não individual.

A oposição tira dela mesma, de forma quase que esquizofrênica a oportunidade de remar a favor de uma categoria de trabalhadores que dá, literalmente, a vida pela sociedade. (Esquizofrenia é uma perturbação mental caracterizada por comportamento social fora do normal e incapacidade de distinguir o que é ou não real). Apenas por capricho eleitoreiro, que pode ser – desculpem o trocadilho – um tiro que sai pela culatra.
Dar um tiro no pé é algo que foi feito ou planejado errado, e a pessoa que o executou, pensando que ia se dar bem, acabou se prejudicando.

A ação ardilosa de aprovar uma antecipação ilegal e até inconstitucional de salários, praticamente inviabiliza que policiais e seus familiares recebam o que têm direito. Tudo por um jogo em que demonstram não ter nenhum compromisso com a verdade, com a lei. O único compromisso que demonstram ter é consigo mesmo, com seus interesses eleitoreiros. Para eles, não interessam os policiais e seus familiares, contanto que consigam espaço para fazer seus falsos discursos de defensores da categoria.

Que a oposição se responsabilize pelas consequências de suas ações eleitoreiras.

Oposição dá tiro no próprio pé, sobre reajuste a Pms, no Amazonas

Amazonas- Dar um tiro no pé é o mesmo que impedir-se de chegar aos lugares, é roubar a oportunidade que a vida proporcionam. No caso da oposição, na ALE, o comportamento é coletivo e não individual

Oposição dá tiro no próprio pé, sobre reajuste a Pms, no Amazonas

Amazonas- Dar um tiro no pé é o mesmo que impedir-se de chegar aos lugares, é roubar a oportunidade que a vida proporcionam. No caso da oposição, na ALE, o comportamento é coletivo e não individual

Oposição dá tiro no próprio pé, sobre reajuste a Pms, no Amazonas

Amazonas- Dar um tiro no pé é o mesmo que impedir-se de chegar aos lugares, é roubar a oportunidade que a vida proporcionam. No caso da oposição, na ALE, o comportamento é coletivo e não individual

Oposição dá tiro no próprio pé, sobre reajuste a Pms, no Amazonas

Amazonas- Dar um tiro no pé é o mesmo que impedir-se de chegar aos lugares, é roubar a oportunidade que a vida proporcionam. No caso da oposição, na ALE, o comportamento é coletivo e não individual

Oposição dá tiro no próprio pé, sobre reajuste a Pms, no Amazonas

Amazonas- Dar um tiro no pé é o mesmo que impedir-se de chegar aos lugares, é roubar a oportunidade que a vida proporcionam. No caso da oposição, na ALE, o comportamento é coletivo e não individual