opinião

Alvaro Corado - Jornalista

No jogo político, às vésperas de uma eleição, existem muitas variantes que podem impulsionar a decisão de um pré-candidato a sair de um partido para outro, a buscar uma aliança ou a desistir de uma candidatura e certamente, o tempo é um dos fatores que mais importa. Quando Teresa Surita desistiu da candidatura ao governo, […]

Nem Luciano, nem Chico, nem Jucá, nem Anchieta. Está tudo como antes, ainda.

No jogo político, às vésperas de uma eleição, existem muitas variantes que podem impulsionar a decisão de um pré-candidato a sair de um partido para outro, a buscar uma aliança ou a desistir de uma candidatura e certamente, o tempo é um dos fatores que mais importa.

Quando Teresa Surita desistiu da candidatura ao governo, ela fez uso do tempo para segurar o quanto pode a decisão. A aposta era que, nos dias que se seguiram, o anúncio da suposta aliança entre Anchieta Jr e Jucá seria feito de pronto. O Tempo, mais uma vez ele, passou, e nada. Eles andam juntos, talvez namorando, mas, casamento mesmo…

É o que ocorreu nos últimos dias ao se espalhar por blogs ligados a grupos políticos e em grupos de WhatsApp criados com essa finalidade, a notícia de que Luciano Castro (PR) já estaria dentro do governo Suely (PP), inclusive com secretarias definidas. Mais uma vez, o tempo, apesar de rápido, provou que o enredo não é bem esse. Luciano já declarou que não decidiu nada.

Disseram ainda que Chico Rodrigues (DEM) também estaria de malas prontas para a base que apoiará a candidatura de Suely, o que também foi desmentido, horas depois, pelo próprio Chico. E mais uma vez o tempo mostrou ser providencial para a compreensão desse jogo.

E é exatamente ele, o tempo, que importa hoje. Faltam 60 dias ainda para o início do período das convenções partidárias, que só encerra no dia 5 de agosto. O bom jogador usará o tempo a seu favor. Declarar voto agora, num cenário de tantas incertezas, pode significar um tiro no escuro.

A única certeza que se pode ter é que ninguém está fora dessa partida em pleno andamento, nem mesmo Teresa. Como já diz o ditado “conversar não tira pedaço” e a boa política se faz assim, aliando interesse com lógica e um pouco de sabedoria, sim, pois, às vezes, nem o mais sábio pode prever o cenário final.

O olhar dos políticos de Roraima está atento e fixo tentando compreender o desejo desses 60% de indecisos. São eles que vão decidir esta eleição e eles, por sua vez, estão de olho nas alianças e comportamento dos pré-candidatos. Aceitarão a aliança Anchieta e Jucá? Aceitarão Luciano e Chico com Suely? E Denarium decolará com suas propostas?,  só o tempo dirá.

O que tem de concreto são as possibilidades. É verdade que Mecias trabalha com a possibilidade de ir para o grupo de Denarium, diria que está 90% lá, mas por que não anunciou ainda? Certamente restam ainda aqueles 10% de dúvida se, por exemplo, indo,  sua candidatura ao Senado estaria verdadeiramente garantida, afinal, as ligações do empresário com Jucá (MDB) são evidentes, ainda que ele mesmo já tenha declarado que não apoiará Jucá, mas a verdade é que nem precisa, basta jogar a favor.

por outro lado Mecias não tem só esta possibilidade, como muitos acreditam. Ele pode lançar uma candidatura solo, sem majoritário ou até com. Pode inclusive retornar à base do governo, que não esconde a vontade de tê-lo de volta.

Chico Rodrigues (DEM) declarou que seguirá as orientações do presidente do partido, o deputado Abel galinha, que também tem lá seus laços com Anchieta (PSDB), logo,  terá que aguardar qual o caminho será desenhado pelo tucano para decidir sua rota.

Já aliança, dada como certa, entre Anchieta e Jucá também tem suas interrogações. Se é aliança por que não anunciar logo? A verdade é que o jogo virou e ainda que o apoio de Jucá signifique a viabilidade e tranquilidade estrutural que Anchieta precisa, as pesquisas precisam apontar que essa união agregará o maior percentual do eleitorado indeciso, caso contrário…

É preciso ainda resolver na cabeça do grupo de Jucá, como acomodar a aliança daqui há 2 anos, nas eleições municipais. Que garantias Jucá e Teresa tem de que o acordo será cumprido? o não cumprimento em 2020 ameaça frontalmente os planos da prefeita para 2022.

O tempo… só ele mesmo para nos responder a tantas questões.

Nem Luciano, nem Chico, nem Jucá, nem Anchieta. Está tudo como antes, ainda.

No jogo político, às vésperas de uma eleição, existem muitas variantes que podem impulsionar a decisão de um pré-candidato a sair de um partido para outro, a buscar uma aliança ou a desistir de uma candidatura e certamente, o tempo é um dos fatores que mais importa. Quando Teresa Surita desistiu da candidatura ao governo, […]

Nem Luciano, nem Chico, nem Jucá, nem Anchieta. Está tudo como antes, ainda.

No jogo político, às vésperas de uma eleição, existem muitas variantes que podem impulsionar a decisão de um pré-candidato a sair de um partido para outro, a buscar uma aliança ou a desistir de uma candidatura e certamente, o tempo é um dos fatores que mais importa. Quando Teresa Surita desistiu da candidatura ao governo, […]

Nem Luciano, nem Chico, nem Jucá, nem Anchieta. Está tudo como antes, ainda.

No jogo político, às vésperas de uma eleição, existem muitas variantes que podem impulsionar a decisão de um pré-candidato a sair de um partido para outro, a buscar uma aliança ou a desistir de uma candidatura e certamente, o tempo é um dos fatores que mais importa. Quando Teresa Surita desistiu da candidatura ao governo, […]

Nem Luciano, nem Chico, nem Jucá, nem Anchieta. Está tudo como antes, ainda.

No jogo político, às vésperas de uma eleição, existem muitas variantes que podem impulsionar a decisão de um pré-candidato a sair de um partido para outro, a buscar uma aliança ou a desistir de uma candidatura e certamente, o tempo é um dos fatores que mais importa. Quando Teresa Surita desistiu da candidatura ao governo, […]

Nem Luciano, nem Chico, nem Jucá, nem Anchieta. Está tudo como antes, ainda.

No jogo político, às vésperas de uma eleição, existem muitas variantes que podem impulsionar a decisão de um pré-candidato a sair de um partido para outro, a buscar uma aliança ou a desistir de uma candidatura e certamente, o tempo é um dos fatores que mais importa. Quando Teresa Surita desistiu da candidatura ao governo, […]