Relator da CPI da Pandemia, Renan Calheiros é indiciado pela Polícia Federal

De acordo com investigações da Polícia Federal, Renan Calheiros teria recebido a quatia de R$ 1 milhão em propina da empresa Odebrecht, em 2012

Manaus | AM

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), foi indiciado pela Polícia Federal (PF) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. As investigações apontam que ele pediu e recebeu R$ 1 milhão em propina da empresa Odebrecht, em 2012.

Conforme investigações da PF, a quantia teria sido paga para que Calheiros atuasse pela aprovação de uma resolução que restringia incentivos fiscais a produtos importados que vinham sendo concedidos pelos Estados com o objetivo de beneficiar a Braskem.

Os investigadores apontam que o senador, identificado com o codinome ‘Justiça’ no sistema da Odebrecht, recebeu, por intermédio de um funcionário de seu operador financeiro, o dinheiro no dia 31 de maio de 2012, no bairro Mooca, em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Portaria transforma Palácio da Justiça em Museu do Judiciário e institui Selo Histórico TJAM

MPF no Amazonas prorroga regime integral de teletrabalho até 31 de agosto

Rosa Weber mantém Hugo Levy afastado do cargo de juiz do TJAM