Marcelo Ramos critica decisão do Exército de não punir ex-ministro Pazuello

A fala de Marcelo Ramos vem após o Exército decidir arquivar denúncia contra o general Eduardo Pazuello, que em maio deste ano, participou de evento político juntamente com o presidente Jair Bolsonaro

Manaus | AM

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL), criticou a decisão do Exército de não punir o ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, por participar de um ato político com o presidente Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro.

Segundo o deputado federal, essa atitude não será bom para uma instituição que tem o respeito do povo brasileiro. “O Exército não decidiu arquivar a denúncia contra Pazuello. O Exército decidiu que agora militar pode participar de manifestações políticas como bem entender”, disse Ramos.

O caso

Pazuello participou de um evento com Bolsonaro no dia 23 de maio. O Regulamento Disciplinar do Exército e o Estatuto das Forças Armadas proíbem a participação de militares da ativa em manifestações políticas. O processo disciplinar de Pazuello foi arquivado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Terra nega ‘gabinete paralelo’ e diz que STF ‘limitou’ Bolsonaro; senadores reagem

Capitão Carpê propõe PL que autoriza Guarda Municipal a fazer patrulhamento preventivo

Projeto de Lei prevê garantia de vagas a PCDs em cargos comissionados