Ex-militares são suspeitos de assassinato do presidente do Haiti

O presidente do Haiti, Jovenel Moise, foi morto a tiros no começo da quarta-feira (7) em sua casa

Manaus | AM | Agência Brasil

A unidade fortemente armada que matou o presidente do Haiti, Jovenel Moise, esta semana, era composta por 26 colombianos e dois haitianos-americanos, disseram autoridades nessa quinta-feira (8), com a caça aos mentores da ação ainda em andamento.

Moise, 53, foi morto a tiros no começo da quarta-feira (7) em sua casa. As autoridades descreveram os suspeitos como um grupo de assassinos treinados e estrangeiros, atirando o país mais pobre das Américas ainda em turbulência ainda maior, com divisões políticas, fome e generalizada violência de gangues.

O ministro da Defesa da Colômbia, Diego Molano, disse que as primeiras informações são de que os colombianos suspeitos de terem participado do assassinato eram membros aposentados das Forças Armadas do país e prometeu ajudar as investigações no Haiti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CPI da Pandemia aprova quebras de sigilo e requisição de servidores da PF

Câmara aprova texto-base do projeto de privatização dos Correios

Pauta de tramitação da Aleam tem projetos voltados para o meio ambiente e saúde mental