Em artigo, procurador-geral do Estado defende Zona Franca de Manaus

Site Conjur publicou a visão de Giordano Bruno Costa da Cruz sobre o modelo econômico local. Ele fez críticas a advogados tributaristas que criticaram a decisão do ministro Alexandre de Moraes de excepcionalizar os produtos fabricados na ZFM da redução de IPI

Manaus | AM

O procurador-geral do Estado do Amazonas, Giordano Bruno Costa da Cruz, defendeu a Zona Franca de Manaus (ZFM) em artigo publicado no site especializado em notícias jurídicas, Conjur, neste domingo (22).

No texto, Giordano destaca que o modelo de desenvolvimento regional é constitucional e faz críticas a advogados tributaristas que afirmam que a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, de excepcionalizar os produtos fabricados na ZFM da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) gera insegurança jurídica.

“Surgiram alguns tributaristas aduzindo que a cautelar concedida gera insegurança jurídica e é de difícil aplicação prática. Observe. Aduziram que a determinação judicial para respeito a benefício fiscal previsto constitucionalmente causa insegurança jurídica. Não seria o contrário? Para eles, a insegurança jurídica não seria causada pelo descumprimento de benefício fiscal previsto constitucionalmente, mas o contrário”, afirmou em trecho do artigo.

O procurador-geral destacou, também, que a ZFM não representa um privilégio à região Amazônia, mas foi uma decisão nacional para preservar a floresta.

“A Zona Franca de Manaus não representa um privilégio à região amazônica, mas verdadeira opção constitucional de modelo econômico sustentável capaz de manter preservada 95% da mais importante floresta tropical do planeta. Manter a competitividade do modelo não significa privilégio a industriais aqui localizados, mas, sim, assegurar que o ciclo hidrológico da região central do continente seja preservado”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Wilson Lima vistoria obras que darão mais fluidez ao trânsito de Manaus

Municípios do AM acumularam R$ 1,7 bi de Fundeb até junho e prefeitos dizem não ter dinheiro, rebate Serafim

Votação da PEC dos Benefícios em comissão na Câmara é adiada

Nós usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.