PEC Miojo: Denúncia de compra de votos na ALEAM acende a luz na PF

Manaus-AM | A denúncia feita ao vivo na tarde da última quinta-feira (3) pela deputada Estadual Joana D’arc (PL) de que teriam sido pagos R$ 200 mil reais para comprar votos, durante a conturbada sessão que aprovou em 3 minutos uma alteração na constituição do Amazonas, a PEC miojo, como ficou conhecida; e a eleição, em ato contínuo, de forma relâmpago, do deputado Estadual Roberto Cidade (PV) para presidência da casa, está indo mais longe do que se imaginava.

Fontes do O PODER afirmaram que após a veiculação nacional da denúncia em sites como Estadão e UOL, equipes da Polícia Federal já iniciaram a compilação de dados como imagens de câmeras de segurança de condomínios de casas e prédios residenciais. O  interesse inicial é verificar se teve movimentação suspeita nestes endereços, nos dias que antecederam a votação na casa legislativa.

O interesse federal, segundo a fonte, é porque a família do deputado envolvido possui contratos milionários na Seduc para o transporte escolar no interior do Amazonas, e estes recursos seriam de origem federal, do FUNDEB.

Já estaria na mão dos agentes também, prints de conversas de aplicativos de mensagens nos quais constaria uma lista com 8 nomes dos que teriam sido beneficiados com o valor.

PEC MIOJO

Na noite desta sexta-feira (4), o Tribunal de Justiça suspendeu todos os atos realizados na sessão que elegeu Roberto CIdade (PV).

PEC Miojo: Justiça suspende armação de Josué Neto com mudança na constituição e eleição relâmpago na ALEAM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sumido desde a derrota nas Eleições 2020 e em São Paulo, Amazonino reaparece em redes sociais

Vereador cria projeto para prestar assistência psicológica a vítimas da covid-19

Senador solicita investigação na PGR contra Pazuello por causa do aplicativo 'TrateCov'