Vereador de Manaus se posiciona contra diversidade de gênero e religiosa em escolas

“O tema é polêmico e merece uma atenção maior', disse o vereador Marcio Tavares, que subscreveu um pedido de esclarecimento sobre a nova resolução

Manaus | AM | Com informações da assessoria de imprensa

O vereador Marcio Tavares (Republicanos) se manifestou, nesta segunda-feira (18), contrário a resolução aprovada pelo Conselho Municipal de Educação (CME), que tornou obrigatório que as escolas da rede privada e pública de Ensino Infantil e Fundamental, na capital, incluam nos currículos o ensino da educação de diversidade sexual e gênero, diversidade religiosa e relações étnicos-raciais.

Na ocasião, o parlamentar informou que subscreveu um pedido de esclarecimento sobre a nova resolução encaminhado ao presidente do Conselho Municipal de Educação, Thiago Lima e Silva, de iniciativa do vereador Raiff Mattos (DC). O documento também foi subscrito pelos vereadores Ivo Neto (Patriota) e João Carlos (Republicanos), todos da bancada evangélica da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

“O tema é polêmico e merece uma atenção maior. Portanto, acho justo que a bancada evangélica possa estar mais atenta em relação aos assuntos que podem influenciar nossas famílias”, argumenta Marcio Tavares.

O parlamentar ressalta, ainda, que, mesmo com o depoimento do presidente do CME, Thiago Lima, informando que a resolução foi debatida entre os integrantes do conselho, por ser um tema sensível com opiniões divergentes e que os temas não podem ser ignorados e precisavam ser regulamentados em Manaus, é preciso rever as inclusões dos temas.

A resolução que determina a ideologia de gênero nas escolas municipais foi aprovada pelo Conselho Municipal de Educação, no dia 29 de dezembro de 2020 e publicada no Diário Oficial do Município, na última quarta-feira (13).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Presidente Jair Bolsonaro sanciona Lei do Mandante

Votação no STJ mantém Wilson Lima no cargo e frustra oposição

'Agora terei a oportunidade de apresentar minha defesa e aguardar a minha absolvição', diz Wilson Lima após denúncia aceita pelo STJ