Servidor público que denunciar possíveis atos de corrupção terá proteção

O projeto é de autoria da deputada Dra. Mayara Pinheiro (Progressistas) que disse que é preciso valorizar e proteger os “melhores ficais”, o servidor público

Manaus | AM | Com informações da assessoria de imprensa

Com o objetivo de combater práticas de corrupção nos órgãos públicos estaduais, tramita na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM) o Projeto de Lei n. 506/2020, que estabelece medidas de valorização e proteção de todo servidor público estadual, efetivo ou temporário, quando este verificar e denunciar, no exercício de duas atribuições, atos suspeitos sobre a prática de corrupção.

O projeto é de autoria da deputada Dra. Mayara Pinheiro (Progressistas) que disse que é preciso valorizar e proteger os “melhores ficais”, o servidor público, que está diariamente lidando com a administração pública e, melhor do que ninguém, é conhecedor de atos de improbidade.

“Valorizar e proteger o servidor que denunciar tais atos é fundamental para gerar motivação para que mais servidores sejam fiscais do dinheiro público, que tanto foi desviado em seguidos escândalos de corrupção nos últimos anos”, declarou.

Dentre as medidas propostas pela deputada, constam pontos como criação de canal direto e simplificado, nos órgãos centrais de controle interno da administração, para recebimento de denúncias; garantia ao servidor público estatutário de inamovibilidade e irredutibilidade de remuneração; o denunciante poderá decidir se usará direito de cessão para outro órgão, compatível com as atribuições de seu cargo efetivo; e registro de elogio na folha profissional, computando-se, sempre, como pontuação máxima em qualquer escala avaliativa de progressão profissional, caso acolhimento da notícia crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Presidente Jair Bolsonaro sanciona Lei do Mandante

Votação no STJ mantém Wilson Lima no cargo e frustra oposição

'Agora terei a oportunidade de apresentar minha defesa e aguardar a minha absolvição', diz Wilson Lima após denúncia aceita pelo STJ