Municípios do AM acumularam R$ 1,7 bi de Fundeb até junho e prefeitos dizem não ter dinheiro, rebate Serafim

O governo do Amazonas acumulou R$ 1,3 bilhão em recursos do Fundeb e os 62 municípios R$ 1,7 bilhões

O governo do Amazonas acumulou R$ 1,3 bilhão em recursos do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) e os 62 municípios R$ 1,7 bilhões. Os dados, correspondentes ao 1º semestre de 2022, foram apresentados pelo deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) na manhã desta quarta-feira (6), na ALE-AM (Assembleia Legislativa do Amazonas).

“Trago esses números porque alguns prefeitos dizem que não podem pagar o piso dos professores. O Fundeb existe exatamente para isso, para assegurar o pagamento do piso dos professores. E o crescimento, se pegarmos de 2018 para cá, nos municípios, passou de R$ 1,1 bilhão para R$ para R$ 1,7 bilhão. Praticamente R$ 600 milhões a mais”, disse Serafim.

O parlamentar chegou a divulgar números do Fundeb dos últimos cinco anos. Em 2018, o governo do Amazonas tinha em caixa R$ 944,4 milhões; em 2019, R$ 897,8 milhões; em 2020, R$ 971,9 milhões; em 2021, R$ 1,4 bilhões e em R$ 2022, R$ 1,3 bilhões. Em comparação com 2018, há um aumento de R$ 374, 1 milhões em 2022 dos recursos do Fundeb do governo do Estado, o que implica em um aumento de 39,61%.

1

Já os 62 municípios do Amazonas receberam do Fundo R$ 567,4 milhões a mais em 2022, em comparação com 2018, o que implica em um aumento de 48,88%. Em 2018, os municípios receberam R$ 1,6 bilhão; em 2019, R$ 1,1 bilhão; em 2020, R$ 1,2 bilhão; em 2021, R$ 1,5 bilhão e em 2022, R$ 1,7 bilhão.

2

“Isso é muito dinheiro. Entendo que não procede a negativa de alguns prefeitos do interior, porque a grande maioria não se recusa a pagar, em não pagar o piso nacional dos professores. No próximo discurso sobre o tema, divulgarei dados de município por município, a evolução histórica. Aí está o global, mas vou mostrar município por município, que acho importante os professores, mas sobretudo a população, tomem conhecimento desses valores”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nós usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.