Marcelo Ramos quer projeto para punir Ministério da Saúde caso descumpra cronograma da vacina

Manaus | AM

Nesta quinta-feira (18), o vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), defendeu que a casa crie um mecanismo legislativo, uma lei, que obrigue o Ministro da Saúde a apresentar um cronograma de compra de vacinas e caso não cumpra ele seja punido. O deputado vai acionar membros da Câmara para discutir o projeto.

No mês de fevereiro, a Câmara aprovou um Projeto de Lei que criminaliza quem furar fila na vacinação. Marcelo defende que a lei que pune o cidadão que furar fila, deva ser estendida também para o ministro da Saúde, caso ele seja omisso.

“A gente pune quem fura-fila, a gente pune o agente de saúde que dá vacina de vento, mas não pune o ministro por não entregar cronograma de vacinação. Ressalvado se for justa causa, como se não tivesse vacina, o mecanismo legislativo pode trazer improbidade legislativa para o ministério”, disse Marcelo Ramos.

Marcelo Ramos cria slogan de vacinação

Na segunda-feira (15), o cardiologista Marcelo Queiroga foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro para ficar a frente da pasta com a saída de Eduardo Pazuello. Queiroga ainda não assumiu o posto de ministro, mas já articula junto ao ministério em eventos oficiais e em um deles Pazuello disse que o “novo reza pela mesma cartilha”.

Marcelo Ramos tem se dedicado a fazer campanha a favor da vacinação em massa e diz que isso não apenas salvará vidas mas também, fará com que a economia volte a rodar no país. “Não existem dois remédios, um pra pandemia e outro pra economia. O remédio pra pandemia e pra economia é o mesmo: VACINA! É vacina no braço e comida no prato!“, disse em uma publicação em seu Twitter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja quais foram os ministros do STF que votaram contra a liberação de cultos e missas

Presidente da Aleam, Roberto Cidade, apresenta PL que permite empresas comprarem vacinas no AM

Vereadora Thaysa Lippy defende diagnóstico precoce para pessoas com Espectro Autista