Marcelo Ramos classifica como ‘covardia’ paralisação das obras da BR-319

Reação do vice-presidente da Câmara, deputado federal Marcelo Ramos, foi em razão do cumprimento de todas as medidas ambientais pedidas pelo MPF

Manaus | AM | Com informações da assessoria de imprensa

O vice-presidente da Câmara e deputado federal, Marcelo Ramos (PL-AM), reagiu à decisão do Ministério Publico Federal (MPF), que determinou a paralisação das obras da Rodovia BR-319, única capaz de estabelecer uma ligação do Amazonas e demais municípios da região com o restante do País.

“Um juiz que não conhece a nossa realidade, a pedido de um procurador que anda de passagem pelo Amazonas, pedirem a paralisação das obras da BR-319, depois do belo trabalho da dra. Jaíza Fraxe no processo na primeira instância, é uma covardia com o povo do Amazonas”, afirmou Marcelo Ramos

Segundo ele, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, por intermédio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), garantiu já ter cumprido todas as determinações da sentença e os estudos de impacto ambiental foram feitos exatamente nos termos que o MPF solicitou.

“O MPF age com intransigência e deixa claro que não quer estudos, quer inviabilizar a BR. Justamente em meio à pandemia no Amazonas, que expôs a urgência de uma ligação rodoviária da Amazônia com o país”, disse, em referência às dificuldades logísticas para o envio de cilindros de oxigênio ao estado, na crise de abastecimento do insumo.

Recentemente, o vice-presidente da Câmara anunciou a Tarcísio Freitas, em reunião com governadores e parlamentares da Amazônia, a oficialização da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Pavimentação da BR-319. Na ocasião, Ramos também assinou contrato para obras nos aeroportos de Itacoatiara, Maués e Fonte Boa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid-19: liminar garante imunização de adolescentes por estados, municípios e DF

Deputados comentam discurso de Bolsonaro na Assembleia-Geral da ONU

David Reis publica suspensão do edital de construção do 'puxadinho' por determinação da Justiça