Eduardo Braga, após ser descartado na disputa à Presidência do Senado, diz que MDB não está unido

Manaus-AM | Por: Redação

O líder do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) no Senado, Eduardo Braga, declarou nesta quarta-feira (27), que parte dos 15 votos que a bancada tem para a candidatura de Simone Tebet (MBD-MS), não se consolidou. “Eu não posso dizer que a bancada está unida, eu não posso dizer isso.”, disse o líder emedebista.

Braga ainda disse que analisa a possibilidade de liberar os votos da bancada na eleição para presidente, que ocorrerá na próxima segunda-feira (1º), mesmo já tento uma candidata a vaga de Davi Alcolumbre (DEM-AP).

A votação para a escolha do sucessor de Davi Alcolumbre é secreta. Isso significa que, mesmo que o partido “fechasse questão” em torno do nome de Simone Tebet, não seria possível identificar e punir os dissidentes da sigla.

“Não posso dizer que a bancada está unida, porque já há manifestações de vários senadores, hoje mesmo na reunião. Eu não vou faltar com a verdade. Agora, quais os partidos que estão 100% fechados nesta eleição? O voto é secreto”, disse Eduardo Braga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deputada Mayara Pinheiro cobra criação de consórcio para aquisição direta de vacinas contra Covid-19

Deputado João Luiz apresenta Projeto de Lei que cria a 'Cesta Básica Popular no Amazonas'

Comissão de Indústria da Câmara quer derrubada de resolução que afeta polo de duas rodas