Deputados comentam discurso de Bolsonaro na Assembleia-Geral da ONU

Jair Bolsonaro se posicionou contra o chamado passaporte sanitário para vacinados, a favor do chamado tratamento precoce, exaltou a política ambiental e o desempenho da economia brasileira

Manaus | AM | Agência Câmara

O discurso feito pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), na abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, dominou os discursos dos parlamentares no Plenário da Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (21).

Em cerca de dez minutos, Jair Bolsonaro se posicionou contra o chamado passaporte sanitário para vacinados e a favor do chamado tratamento precoce (que não tem eficácia comprovada); exaltou a política ambiental e o desempenho da economia brasileira durante o seu governo; e enalteceu as manifestações de 7 de Setembro.

Brasil quer atrair mais investimentos privados, diz Bolsonaro na ONU

Após reunião de líderes partidários, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse que o discurso de Bolsonaro não trouxe novidades. “Assistimos rapidamente (ao pronunciamento) e, nos aspectos gerais, nada que surpreenda a política brasileira. Falou o que já vinha falando há muito tempo internamente no País”, disse.

Em plenário, predominaram as críticas de deputados da oposição. O deputado Odair Cunha (PT-MG), que foi o primeiro a falar, lembrou que Bolsonaro foi hostilizado pelas autoridades da cidade de Nova Iorque por não ter se vacinado.

“É o único entre os líderes dos 20 maiores países a não ter tomado nenhum tipo de vacina contra a Covid-19. É lamentável que ele dê esse péssimo exemplo, manchando ainda mais a imagem do povo brasileiro”, criticou.

O líder do PT, deputado Bohn Gass (RS), foi à tribuna apontar o que chamou de “mentiras de Bolsonaro na ONU”. “Diz que o Brasil não tem casos de corrupção, mas esconde que seu governo assinou contrato de R$ 1,6 bilhão em vacina superfaturada. Diz que fortalece órgãos ambientais, mas esconde que o Ministério Público pediu o afastamento do ministro da área porque ele promovia a destruição ambiental”, criticou.

A defesa do presidente foi feita pelo deputado Luiz Lima (PSL-RJ). Para ele, Bolsonaro fez um de seus melhores discursos. “Citou o combate à corrupção, nenhuma corrupção registrada no atual governo. Sucesso na agricultura, na infraestrutura, empresas estatais que pararam de enviar recursos para o exterior”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adepol de Mário Aufiero sofre derrota definitiva no STF e confirma que comissário nunca foi delegado

Aliados do governo acreditam que MP vai arquivar relatório final da CPI da Pandemia

Em reunião com a OAB-AM, TRE-AM define prazos para eleição da entidade