Depoimento de ‘capitã cloroquina’ expõe má gestão de Arthur Neto na saúde durante a pandemia

Manaus-AM-  Em depoimento na CPI da Covid-19 no Senado Federal, na manhã desta terça-feira (25), a secretária do Ministério da Saúde (MS), Mayra Pinheiro, chamada de “capitão cloroquina”, disse que as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Manaus estavam fechadas no auge da segunda onda de Covid-19 e que não havia medicamentos e nem estrutura para atender a população.

A afirmação foi feita, ao vivo para todo o Brasil, durante transmissão, pela TV Senado, da CPI da Covid-19. Conforme o quadro relatado pela secretária do MS, que esteve na capital em dezembro de 2020 para avaliar as necessidades para combate à doença, a situação era de desassistência e caos na atenção primária em Manaus que, até o final do ano passado, estava sob a gestão do ex-prefeito Arthur Neto.

O relato expõe o quadro caótico da saúde básica, de responsabilidade da Prefeitura de Manaus, que esteve sob a gestão de Arthur Neto nos últimos oito anos.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ministros do STF analisam pedidos contra quebras de sigilo aprovadas pela CPI da Pandemia; confira as decisões

David Almeida anuncia vacinação para grupos de 38 e 39 anos; veja vídeo

Projeto que prevê prova de vida virtual fica para a próxima semana