CPI que acobertou supostas irregularidades de Amazonino terá relatório divulgado

Um dos membros da CPI, o deputado Wilker Barreto, é aliado direto do ex-governador Amazonino Mendes

Manaus | AM

Após quatro meses de investigação, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde apresenta, nesta terça-feira (29), seu relatório conclusivo na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM). Com claro foco político, a comissão foi criada durante o pico da pandemia, momento no mínimo inoportuno, já que, à época, o Executivo voltava seus esforços à adoção de medidas para o combate à Covid-19.

A expectativa é que o documento, redigido pelo relator, deputado estadual Fausto Júnior (PRTB), traga informações que reforcem, de forma velada, a manipulação política da comissão, desviando o foco de irregularidades promovidas na área, em gestões anteriores, como a de Amazonino Mendes (Podemos), candidato à Prefeitura de Manaus. Quando foi aprovada, a CPI previa investigar a gestão em saúde desde o ano de 2011.

Para quem acompanhou os depoimentos da CPI, dois pontos ficaram claros: o primeiro, é a falta de conhecimento dos deputados estaduais, sobre a sistemática de fluxo nas unidades públicas de saúde (similar Brasil afora), mesmo após inúmeras visitas in loco, a hospitais do SUS, com o mero objetivo de aparição nas redes sociais, e que não levaram a nada na prática.

E o segundo, foi a criação de rumores, que incluíram irregularidades em processos indenizatórios na gestão atual, a qual foi a única a determinar a extinção desse tipo de contratação e a priorização das licitações para a contratação de serviços públicos.

A atuação política, cada vez mais evidente, foi reforçada quando os parlamentares ignoraram a informação prestada pela ex-gerente de compras da Secretaria de Estado de Saúde (antiga Susam), Narelda da Silva Barros, de que as práticas de processos indenizatórios eram comuns durante o governo de Amazonino Mendes (Pode) e que no mandato tampão de Mendes, em 2018, foi a época em que os pagamentos desse tipo mais ocorreram.

Mesmo com as declarações, Amazonino curiosamente não foi convocado a prestar esclarecimentos. Cabe aqui uma ressalva: dois dos membros da CPI são aliados diretos do ex-governador. Wilker Barreto, que é vice na chapa de Amazonino na corrida à Prefeitura de Manaus, e Delegado Péricles (PSL), que alimenta profunda gratidão pelo político, o qual providenciou, há alguns anos, uma cirurgia em um hospital de referência em São Paulo, de reconstrução de mandíbula para o então delegado, ferido durante uma abordagem policial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tribunal especial afasta governador de Santa Catarina

TJAM anuncia nova edição da Semana Nacional da Conciliação

TRE-AM recebe mais de 4 mil frascos de álcool em gel da Ufam