Comissão de Indústria da Câmara quer derrubada de resolução que afeta polo de duas rodas

Manaus-AM |

O presidente da Comissão de Turismo, Indústria, Comércio, Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, da Câmara Municipal de Manaus (CMM), William Alemão (Cidadania), defendeu nesta quarta-feira (24), a derrubada da Resolução n° 159/2021, que reduz em 15% (de forma gradativa), a alíquota do imposto de importação que incide sobre a compra de bicicletas. O vereador enfatizou que a decisão da Câmara de Comércio Exterior (Camex), órgão vinculado ao Ministério da Economia, irá atingir de forma direta a produção do produto na Zona Franca de Manaus (ZFM) e, consequentemente, aumentar o número de desempregos na capital amazonense.

O anúncio da redução na alíquota foi feito no último dia 17 de fevereiro, pelo Governo Federal e está previsto para entrar em vigor no próximo dia 1º de março.

Além da questão trabalhista, Alemão criticou a decisão tomada em pleno momento em que, o Amazonas vive a maior tragédia sanitária e econômica da história do estado. O parlamentar espera que a medida seja revista o quanto antes. “Estamos ao lado dos trabalhadores, das instituições que prezam pela manutenção dos incentivos fiscais destinados à Zona Franca de Manaus, e declaramos total apoio à bancada do Amazonas em Brasília, na defesa da derrubada do decreto. Esperamos que, em prol dos interesses dos amazonenses, dos brasileiros, o governo Federal reveja tal decisão”, disse William Alemão.

Atualmente, segundo informações da própria categoria, o Polo Industrial de Manaus (PIM) gera em torno de cinco mil empregos diretos, por meio das empresas Caloi, Bike Norte, Sensei e Ox.

Inviável

A taxa de importação para insumos usados na produção de bicicletas está fixada em 16%, logo se torna inviável a competição com o mercado estrangeiro, uma vez que para compra da bicicleta pronta, a alíquota será reduzida para 20%, como explicou o parlamentar.

“Uma redução de 15% no imposto de importação agora, irá incidir sobre a compra de bicicletas, pois resultará na queda da alíquota de importação, hoje fixada em 35%. Porcentual que será reduzido para 20%, até dezembro de 2021”, criticou William Alemão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

David Reis diz que vereadores decidirão se licitação das 41 picapes vai continuar na CMM

Bolsonaro afirma que Governo Federal zerou impostos de medicamentos

Marcelo Ramos afirma que aumento do IOF é uma maldade com o povo brasileiro