Apenas três dos oito deputados federais do AM assinam a criação da CPI que vai investigar o STF

Na Câmara tramita um pedido de abertura de CPI para investigar abusos de autoridade supostamente praticados pelo STF e pelo TSE

Os deputados federais do Amazonas, delegado Pablo (União Brasil), capitão Alberto Neto (PL), e  Silas Câmara (Republicanos) assinaram o pedido de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Nas redes sociais, Alberto Neto disse que assinou o documento porque “preza pela transparência e equilíbrio entre os três poderes”.

No documento não consta a assinatura dos deputados Átila Lins, Sidney Leite, Marcelo Ramos que são filiados ao PSD, José Ricardo (PT) e Bosco Saraiva (Solidariedade). Os parlamentares não se manifestaram sobre o assunto.

O deputado federal Marcel van Hattem (Novo-RS) anunciou, nesta terça-feira (22), que protocolou um pedido de abertura de CPI para investigar abusos de autoridade supostamente praticados pelas duas Cortes.

Nas redes sociais, o parlamentar afirma que o documento já conta com 169 assinaturas. Para que o protocolo seja realizado, é necessário o apoio de 171 deputados.

Na petição, Marcel van Hattem cita três situações de abuso de autoridade que o STF e o TSE teriam cometido:
  • Busca e apreensão no endereço de empresários por terem compartilhado mensagens em aplicativos.
  • Determinação de bloqueio das contas bancárias de 43 pessoas e empresas suspeitas de financiarem atos antidemocráticos.
  • Censura a parlamentares, ao economista Marco Cintra, à produtora Brasil Paralelo, à emissora Jovem Pan e ao jornal Gazeta do Povo.

Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nós usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.