Agraciados pela ALEAM devolvem diplomas de honra ao mérito e medalhas do Mérito Legislativo

Ato ocorreu, nesta quinta-feira (22), na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM), em protesto a concessão do Título de Cidadão do Amazonas ao presidente Jair Bolsonaro

Manaus | AM

Agraciados com diplomas de honra ao mérito e com medalhas do Mérito Legislativo outorgados pela Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM) estiveram, nesta quinta-feira (22), na Casa para devolver as honrarias. O ato foi uma forma de protestar contra os deputados que aprovaram, nesta semana, a concessão de Título de Cidadão do Amazonas ao presidente da República, Jair Bolsonaro.

Estiveram no local Gleice Antônia de Oliveira, Lusarina Valera da Silva, Neila Gomes do Santos, Francimar Santos Júnior, Menabarreto França, Ian Evanovick e Antônia Barroso.

Nota de Repúdio

Nesta quinta-feira (22), várias entidades assinaram uma carta de repúdio contra a concessão do título ao presidente Bolsonaro. Segundo o padre Paulo Tadeu Barausse, coordenador do Serviço Amazônico de Ação, Reflexão e Educação Socioambiental (Sares), a atitude dos parlamentares é lamentável para a sociedade amazonense.

“Estamos manifestando nosso repúdio a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), que na terça-feira (20), aprovou o PL n. 187/2021 que concede o título de Cidadão do Amazonas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A proposta é de autoria do deputado Delegado Péricles (PSL). Lamentavelmente 11 deputados deram seu sim. Vamos ficar bem atento para as próximas eleições. Nós como pastorais sociais, movimentos sociais, entidades e instituições comprometidas com a vida estão pedimos que vocês possam assinar e compartilhar está Carta Repúdio”, disse o padre Paulo Barausse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Wilson Lima entrega 3 toneladas de alimentos na Zona Sul de Manaus

Aproximação de Dermilson Chagas e Eduardo Braga fica explícito nas redes sociais

O desafio das deputadas da Aleam para conciliar política e maternidade