Senador Plínio Valério quer melhorar interlocução do Senado com o cidadão

Manaus | AM | Com informações da assessoria de imprensa

“Ouvidos para ouvir e compromisso para encaminhar respostas”. Essa foi a frase usada pelo senador Plínio Valério (PSDB-AM) nesta terça-feira (16) para celebrar o Dia Nacional do Ouvidor e incentivar os brasileiros a usarem cada vez mais a Ouvidoria da Casa.

O senador assumiu a função de ouvidor-geral do Senado em fevereiro e, como forma de divulgar o trabalho, está realizando uma ação nas redes sociais, chamando a população a uma participação mais ativa nesses canais de interação. Além de troca de ideias sobre proposições de projetos, o parlamentar lembra que a Ouvidoria é um canal para reclamações e críticas construtivas, no intuito de aperfeiçoar a atuação legislativa em todos os níveis.

“O cidadão é a razão do nosso trabalho. Na Ouvidoria, se encontram as ferramentas necessárias para cada um participar, reclamando, sugerindo ideias que nós vamos ouvir e, quem sabe, aproveitar em forma de projetos de lei. Neste momento desafiador, com a pandemia que já passou de um ano e com as incertezas econômicas, políticas e sociais, torna-se ainda mais essencial o trabalho da Ouvidoria, de constituir uma ponte entre a população e seus representantes no Poder Legislativo. Sinto-me honrado com essa missão”, disse Plínio Valério

A ideia de Plínio Valério é aumentar ainda mais a transparência do Senado. Ele encaminhou uma carta em que saúda os titulares das ouvidorias estaduais e destaca os desafios desses órgãos durante a pandemia de covid-19. Na mensagem, o senador destaca que sua gestão à frente da Ouvidoria do Senado será pautada pela promoção de mudanças, pelo fortalecimento da participação social e pela expansão da cidadania participativa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Senadores Omar, Plínio e Braga votaram a favor da criação da CPI da Covid-19

AO VIVO | Saiba quais ministros do STF votaram contra a liberação de cultos e missas na pandemia

Roberto Cidade autorizou o gasto de mais de R$ 12 milhões com contratos na Aleam