‘Quero um patamar de excelência’, diz presidente do Tjam em abertura do Ano Judiciário 2023

"Excelência", "eficiência", "valorização" e "mais condição de trabalho" foram algumas das pautas defendidas pela desembargadora Nélia Caminha Jorge

MANAUS | AM

“Excelência”, “eficiência”, “valorização”, “mais condição de trabalho” e “maior implementação de tecnologia nas cidades”. Essas foram algumas das principais pautas defendidas por autoridades, nesta terça-feira (24), durante a Sessão Solene de Abertura do Ano Judiciário 2023 do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam), e que serão o foco da Corte, segundo a presidente do Tribunal, a desembargadora Nélia Caminha Jorge.

“Meu foco é a prestação jurisdicional, a eficiência e a melhor qualidade. Eu quero o Tribunal de Justiça do Amazonas num patamar de excelência, sem deixar de valorizar a carreira da magistratura, os funcionários, servidores, implementando melhores condições de trabalho. No que for possível, eu implementarei essas questões”, destacou a desembargadora.

whatsapp image 2023 01 24 at 10.04.24
“Excelência”, “eficiência”, “valorização” e “mais condição de trabalho” foram algumas das pautas defendidas pela desembargadora Nélia Caminha Jorge (Pablo Medeiros/O Poder)

Em entrevista ao Site O PODER, Nélia Caminha Jorge comentou sobre o ano judiciário e destacou as ações que pretende promover sobre o interior do Amazonas. Para a desembargadora, é preciso diminuir a distância entre o interior e a capital e isso só será possível por meio da tecnologia.

“Nós sabemos que o nosso Estado tem dimensões continentais e, em razão dessas distância, tudo é muito difícil. Tem interior que eu já estive lá, há 30 anos, que se eu for voltar hoje, está do mesmo jeito. Mas, o que podemos [fazer para] tentar diminuir essa diferença é por meio da tecnologia e, é com base nisso, que nós vamos buscar recursos para implementar isso, diminuindo essa distância geográfica”, pontuou.

Desafios

Empossada como presidente do Tjam desde 2 de janeiro deste ano para o biênio 2023/2025, Nélia Caminha tem como vice-presidente a desembargadora Joana dos Santos Meirelles e o também desembargador Jomar Ricardo Saunders Fernandes, como corregedor-geral de Justiça. É a terceira vez na história, em 131 anos de existência, que a Corte tem uma mulher no comando e, a primeira vez que, numa mesma gestão, que duas mulheres estão à frente dos cargos no Tribunal.

“É uma satisfação chegar ao comando do tribunal, porque é o sonho todo magistrado. Como mulher é mais ainda, porque passamos por muitos desafios para chegar a este patamar, mas eu tenho consciência da minha responsabilidade e coragem para enfrentar os desafios”, declarou a desembargadora.

Cerimônia

A Abertura do Ano Judiciário 2023 do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) foi realizada no Plenário de Justiça Desembargador Ataliba David Antônio, na sede da Corte. Participaram da solenidade, além de Nélia Caminho, os desembargadores do Estado, o vice-governador Tadeu de Souza (Avante), o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante). o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Amazonas (OAB-AM), Jean Cleuter Mendonça e o procurador-geral de Justiça, Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior.

Texto: Bruno Pacheco / O Poder

Fotos: Pablo Medeiros / O Poder

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nós usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.