PGR denuncia Eduardo Cunha e outros deputados por receber mais de R$ 50 milhões da Odebrecht

Manaus-AM |

A Procuradoria-Geral da República (PGR), denunciou o deputado Eduardo Cunha (MDB), que não época era presidente da Câmara Federal e o deputado Arlindo Chinaglia (PT), por suspeita de envolvimento em um esquema de propina por parte da Odebrecht.

Outras 15 pessoas também foram alvo da acusação formal do Ministério Público, em desdobramento das investigações da Lava Jato.

Segundo as apurações, Chinaglia teria recebido R$ 8,740 milhões entre 2008 e 2014 do Grupo Odebrecht para reverter o resultado do leilão da hidrelétrica de Jirau, em Rondônia, do qual o consórcio formado pela empresa e pela construtora Andrade Gutierrez saiu derrotado.

Chinaglia teria inicialmente solicitado R$ 10 milhões em 2008 — a operação teria sido intermediada pelo então deputado Eduardo Cunha.

Delatores da Odebrecht afirmam Cunha recebeu um total de R$ 52 milhões em mesadas

Conforme o relato dos colaboradores, Cunha teria influência sobre Furnas, que fazia parte do consórcio que venceu outro projeto na região, o da construção da hidrelétrica de Santo Antônio.

Por isso, teria recebido R$ 50 milhões para dividir entre parlamentares, no sentido de que eles ajudassem a reverter o resultado do leilão de Jirau.

Na divisão do valor, diz a denúncia, Cunha teria direito a R$ 20 milhões e Chinaglia a outros R$ 10 milhões. Outros dois parlamentares ficariam com R$ 10 milhões cada um – estes casos são investigados em outros inquéritos.

Em depoimento no curso do inquérito, Eduardo Cunha negou irregularidades. Nesta quarta (24), a defesa do ex-presidente da Câmara diz que as acusações contra ele são um “equívoco.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tony Medeiros assume presidência da Comissão de Turismo na ALEAM

MP-AM quer retorno seguro às aulas no município de Manaquiri

Governo do AM divulga lista de membros do Conselho Curador da UEA