MP investiga possível sobrepreço na reforma de terminal de ônibus na gestão Arthur

Manaus – AM – O Ministério Público do Amazonas (MP-AM), por meio da 13a Promotoria de Justiça Especializada na Defesa e Proteção do Patrimônio Público, resolveu instaurar uma investigação preliminar para apurar indícios de irregularidades na reforma do Terminal de Integração – T3, localizado no bairro Cidade Nova, na zona Norte da capital amazonense, ainda na gestão do ex-prefeito Arthur Neto (PSDB).

O procedimento deve apurar possível dano ao erário decorrente de sobrepreço na obra. “… em face da Secretaria Municipal de Infraestrutura – SEMINF e Consórcio Rego e Mendes & Mosaico Engenharia, constituído pelas empresas Rego e Mendes Construções Ltda. e Mosaico Engenharia, Indústria e Comércio de Artefatos de Concreto Ltda., visando a apurar possível dano ao erário decorrente de sobrepreço na Concorrência nº. 009/2019-CEL/CC, empreitada por preço global cujo objeto é a contratação de Empresa para “Reforma do Terminal de Integração T3”, localizado no bairro Cidade Nova, no Município de Manaus/AM, e aditivos.”, diz a portaria publicada no Diário Oficial Eletrônico do MP-AM, edição de quinta-feira (15). O prazo para conclusão deve ser de 90 dias.

A reforma foi orçada em R$ 3.057.188,68, e estabelecido prazo de duração de 120 dias. A obra de revitalização foi deixada inacabada pela administração de Arthur Neto, que terminou em 31 de Dezembro de 2020, sendo continuada na atual administração municipal.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PL que cria dia em homenagem às vítimas da Covid-19 segue para sanção do prefeito

Vereadores aprovam homenagem a Marcos Rotta, vice-prefeito de Manaus e titular da Seminf

Câmara Federal pode votar nesta terça projeto sobre licenciamento ambiental