MP-AM ajuíza ação para garantir vacina até comunidades rurais de Manacapuru

Manaus-AM-  O Ministério Público do Amazonas (MPAM), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Manacapuru, ajuizou Ação Civil Pública com pedido de Tutela de Urgência visando garantir a vacinação das pessoas que moram nas comunidades do Divino Espírito Santo, Monte Orebe, Jardim do Éden, Boca do Cuia, Paraná do Cuia e Bom Jesus.

A recomendação é dirigida ao Prefeito de Manacapuru e à Secretaria Municipal de Saúde. No documento, a Promotora de Justiça Tânia Maria de Azevedo prescreve o prazo de 24 horas para que a Prefeitura desloque as esquipes de vacinação até as comunidades.

“Os comunitários da Zona Rural de Manacapuru procuraram o Ministério Público para manifestar sua insatisfação com a logística criada pela Secretaria de Saúde Municipal, por causa da distância dos polos de vacinação. Assim como os indígenas, os ribeirinhos e os quilombolas foram incluídas nos grupos prioritários de vacinação, por isso o Poder Público deve envidar todos os esforços para levar a vacina até as comunidades, inclusive com busca ativa, ou seja, quando o profissional de saúde se desloca até a residência da pessoa a ser vacinada”, apontou a Promotora de Justiça.

A denúncia foi feita pela presidente da Comunidade Jardim do Éden, Maria Martins. Segundo ela, os pontos centrais de vacinação foram instalados em algumas comunidades que não são próximas, o que dificulta e, até mesmo, impossibilita o deslocamento de diversas pessoas, principalmente dos idosos. Para Maria Martins, as equipes de vacinação deveriam visitar as casas, de forma semelhante ao trabalho que vem sendo feito em Anamã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MP ajuíza ação contra prefeita de Coari por improbidade administrativa

Sistema penitenciário é “tragédia humanitária”, diz Gilmar Mendes

Reunião na CMM deve discutir impactos da pandemia para as atividades de bares e restaurantes de Manaus