Wilsona Lima afirma que Arthur Neto usou máquina pública para encobrir assassinato do engenheiro Flávio

"Falando em homicídio? Durante sua gestão, usou a máquina da Prefeitura de Manaus para encobrir o assassinato do engenheiro Flávio", escreveu o governador

Manaus | AM

No final da tarde desta quinta-feira (14), o governador Wilson Lima respondeu aos ataques feitos pelo ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto. Em sua conta no Twitter, Lima disse que Arthur usou a máquina pública para encobrir o assassinato do engenheiro Flávio, supostamente cometido por seu enteado, Alejandro Valeiko, e pediu respeito para com as famílias que perderam seus entes por conta da Covid-19.

“Falando em homicídio? Durante sua gestão, usou a máquina da Prefeitura de Manaus para encobrir o assassinato do engenheiro Flávio. Pare de pensar em si mesmo e em seus interesses. Pense no povo, na saúde da população. Ajude em vez de atrapalhar. Seja homem. Seja responsável. Não use a pandemia como trampolim político”.

arthur neto

Em um vídeo publicado nesta quinta, o ex prefeito ataca o governador e fala sobre a atual situação da saúde pública no Amazonas, e cita a falta de respiradores no Estado. “É com muita tristeza que eu me dirigi a você hoje. Vinte e oito pessoas mortas por falta de oxigênio só no 28 de Agosto. Não estou vendo falta de oxigênio em nenhum outro lugar, mas está faltando em Manaus, está faltando no Amazonas, eu queria dizer diretamente ao governador do Estado que o nome disso é assassinato”, disse.

Ainda em sua resposta, Lima disse que tal vídeo “é um desrespeito para com todos que estão na linha de frente e com as famílias enlutadas. Saia do seu mundo pequeno e venha para as ruas ajudar a cuidar das pessoas”, respondeu.

Após desativar hospital e pedir reabertura do comércio, Arthur Neto questiona mortes por Covid-19

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Portugal reconhece certificados de vacinação emitidos pelo Brasil

Governo federal cria programa para expandir telecomunicações na Amazônia

Cartórios eleitorais do interior do AM voltam a atender presencialmente