Secretário de Saúde do AM isenta Pazuello e culpa White Martins sobre crise do oxigêncio, diz CNN

De acordo com matéria publicada pela CNN, Marcellus Campelo jogou toda a culpa na empresa White Martins, principal fornecedora de oxigênio no Estado, e isentou o ex-ministro Pazuello

Manaus | AM

A CNN publicou matéria, nesta terça-feira (20), afirmando que em depoimento à Polícia Federal (PF), no dia 10 de fevereiro,  o secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campelo, isentou o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, de qualquer responsabilidade pela crise de oxigênio no Estado.

Ainda conforme a publicação, o depoimento possi dez páginas que integra o inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar o episódio. Na oportunidade, Campelo jogou toda a culpa na empresa White Martins, principal fornecedora de oxigênio no Estado.

Segundo o secretário, representantes da empresa chegaram a solicitar “que o depoente não abrisse mais leitos sem que houvesse um retorno da empresa” após ele informar que abriria mais 150 leitos de UTIs e 50 leitos clínicos.

No dia 7 de janeiro, Campelo diz que recebeu representantes da empresa, “os quais relataram o aumento atípico do consumo de oxigênio e disseram que estavam trabalhando para suprir a demanda de oxigênio”.

Mais tarde, disseram que “devido ao aumento do consumo de oxigênio dos últimos dias, o planejamento inicialmente estabelecido não seria capaz de suprir a tempo a demanda existente até a chegada da balsa no dia 9 às 18h”.

“Que não obstante a informação inicialmente passada pela White Martins quanto a existência de 1.500 cilindros disponíveis quando a operacionalização do transporte no dia 8, a empresa informou que somente teriam disponíveis para o transporte imediato cerca de 300 cilindros de oxigênio”.

Também conforme o depoimento, o ex-ministro por mais de uma vez é apontado como alguém que se prontificou de imediato a auxiliar quando informado da crise. Campelos também relatou, ainda, a falta de confiança do Governo do Amazonas na White Martins e que a própria empresa disse não haver problemas de oxigênio no Estado.

A White Martins afirmou que não tem como se manifestar sobre o assunto, porque não teve acesso ao depoimento do secretário de Saúde do Amazonas e o tema está sob investigação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Câmara dos Deputados aprova Marco Legal das startups

Projeto cria novo auxílio de R$ 500 e prevê tributação sobre dividendos

Vereador propõe tarifa social de água para vítimas da enchente em Manaus