Mourão defende realização de missas e cultos com distanciamento social

Manaus | AM

Na manhã desta segunda-feira (5), o vice-presidente Hamilton Mourão, disse que há “condições” para a realização de missas e cultos durante a pandemia de Covid-19, desde que adotadas medidas de distanciamento. A defesa de Mourão ao ser questionado durante uma entrevista sobre a medida do ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), que liberou cultos e missas no país.

A decisão de Marques saiu no sábado (3), na véspera do domingo de Páscoa. Para o ministro, barrar as atividades presenciais viola o direito de liberdade religiosa e que em sua decisão ele adota medidas de proteção como o uso de máscaras e ocupação de apenas 25% nas igrejas e templos, para tornar o momento mais seguro.

Diante da expectativa por uma decisão do plenário do STF sobre o tema, Mourão afirmou que a liberação das atividades religiosas deve ser debatida “a fundo”. Para ele, a situação depende das condições que cada templo e igreja oferecem.

“Tudo depende das pessoas e depende do templo. Se você tem uma igreja que tem um espaço bom, você limita a 20, 30 pessoas separadas, duas por banco, vamos colocar assim, todo mundo de máscara, obviamente, acho que há condições. Agora, quando são templos apertados e muita gente lá dentro, é óbvio que não é conveniente”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Presidente Bolsonaro viaja aos Estados Unidos para assembleia da ONU

David Reis diz que vereadores decidirão se licitação das 41 picapes vai continuar na CMM

Bolsonaro afirma que Governo Federal zerou impostos de medicamentos