Ex-ministro de Dilma diz que não houve militarização no governo Bolsonaro

Segundo ele, há muitos ex-militares no governo, o que é bem diferente

Em recentes declarações, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro que o próximo ministro da Defesa será um civil. A especulação sobre quem vai ocupar a pasta é muito grande em Brasília, especialmente pela controversa participação dos militares no governo de Jair Bolsonaro.

Para o ex-ministro Aldo Rebelo (PDT), que ocupou o cargo no governo Dilma, escolher um nome não será um problema. Ex-comunista, Aldo, que nunca acreditou na possibilidade de um golpe militar, que o próximo ministro da Defesa “será encontrado com facilidade pelo presidente Lula” e destacou a boa relação do futuro governo com a tropa.

“Basta olhar como foi a gestão do PT no governo Lula. Foi uma coisa profissional, sem problemas, absolutamente institucional. Ele apoiou, deu recursos e fez o que tinha de ser feito. A diferença já está estabelecida”, afirmou.

Rebelo também não vê uma “militarização” do governo Bolsonaro. Segundo ele, há muitos ex-militares no governo, o que é bem diferente: “Militar da reserva é quase um civil e não é o que conta. As Forças Armadas estão tranquilas em relação ao novo governo, pelo que sei”.

*Com informações da VEJA

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nós usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.