David Almeida diz que pedido de prisão do MPAM contra ele é ilegal e arbitrário

Manaus-AM | Por: Redação

Na tarde desta quarta-feira (27), o Ministério Público do Amazonas (MPAM), realizou um pedido de prisão preventiva contra o prefeito de Manaus, David Almeida (AVANTE) e da secretária de Saúde do município, Shadia Fraxe, e também o afastamento dos seus cargos públicos junto a um pedido de busca e apreensão para aqueles que furaram fila de vacinação.

Segundo David, a medida cautelar provisória foi rejeitada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Por meio de nota, Almeida diz que está profundamente indignado com a atuação ilegal e arbitrária de membros do Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Amazonas (MPAM).

Na nota, ainda diz que ele ingressará com as medidas cabíveis contra os responsáveis desse ato.

“Além disso, não há o menor indício de desvio de recursos públicos, ato lesivo ao erário ou repercussão criminal. Reitera a confiança no Poder Judiciário, nas instituições e na gestão transparente da cidade de Manaus.”, diz a nota.

Confira AQUI a Nota do Prefeito

 

 

 

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Presidente do TCE-AM prorroga atividades em home office

Educação no Amazonas é um dos temas mais debatidos na Assembleia Legislativa

Boulos e mais dois viram réus em caso de invasão de tríplex no Guarujá