Arthur afirma que viagens para o exterior foram pagas pelos organizadores dos eventos dos quais participou

Além disso, o ex-prefeito de Manaus afirma que jatinho utilizado para tratar Covid-19, São Paulo, foi pago com"recursos próprios"

Manaus | AM

O ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto, disse, neste sábado (27), que “as viagens que fez às cidades de Bangkok, na Tailândia, e Bonn, na Alemanha, foram a convite de organizações internacionais e as passagens pagas pelos organizadores dos eventos” e que por isso não constam no Portal da Transparência da Prefeitura de Manaus.

De acordo com o ex-prefeito, ele esteve nas duas viagens internacionais em novembro de 2017, à época como prefeito, mas também como diplomata que atua em defesa da Amazônia. Em Bangkok, Virgílio foi convidado pelo Banco Mundial para discutir ações do programa de ‘Cidades Resilientes’, ao lado representantes de mais 26 cidades do mundo.

Em seguida, Arthur seguiu para a Alemanha, onde foi convidado a participar da Cúpula do Clima para Líderes Locais e Regionais, pelo prefeito de Bonn. A cidade também sediou a 23° Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP23), na qual o ex-prefeuti foi chamado a palestrar.

De acordo com ele, “quando um servidor público viaja, mesmo no exercício de sua função, sem que as custas sejam pagas pelo poder público, não há obrigatoriedade das informações daquela viagem constarem no Portal da Transparência, por não haver emprego de recursos públicos”.

Viagens e contratação de jatinhos de Arthur Neto não constam no Portal da Transparência da Prefeitura de Manaus

No Portal da Transparência, consta apenas o deslocamento, para a Alemanha, do então secretário de Comunicação, Eric Gamboa. Porém, na oportunidade, ele esteve acompanhado da ex-primeira-dama de Manaus, Elisabeth Valeiko Ribeiro; do ex-superintendente municipal de Transportes Urbanos, Audo Albuquerque; do ex-diretor-presidente do Manaustrans, Franklin Pinto; do ex-secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Antônio Nelson, além dos vereadores Chico Preto e Rosivaldo Cordovil.

Sobre sua ida para Colômbia, juntamente com uma comitiva de secretários e vereadores, para conhecer o sistema de transporte coletivo utilizado nas cidades de Bogotá e Medellín, “está devidamente registrada no Portal da Transparência, conforme a solicitação 2017 0014 – feita somente para custas com passagens e sem gastos ao erário municipal com a hospedagem”.

Por fum, Arthur esclare que seu deslocamento para São Paulo, juntamente com a ex-primeira-dama para tratar a Covid-19, ” foi paga com recursos próprios e, por essa razão, não consta no Portal da Transparência”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja quais foram os ministros do STF que votaram contra a liberação de cultos e missas

Presidente da Aleam, Roberto Cidade, apresenta PL que permite empresas comprarem vacinas no AM

Vereadora Thaysa Lippy defende diagnóstico precoce para pessoas com Espectro Autista