Após acusações na CPI da Pandemia, Arthur Neto diz que tudo ‘é um festival de mentiras’

Nesta terça-feira (25), a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde (MS), Mayra Pinheiro, afirmou que as UBSs na gestão Arthur Neto estavam fechadas

Manaus | AM

Após as declarações da secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde (MS), Mayra Pinheiro, nesta terça-feira (25), na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, o ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), afirmou que tudo não passa de “um festival de mentiras”.

Covid-19: ‘Capitã Cloroquina’ revelou que Manaus estava sem médicos e com UBSs fechadas, em janeiro

Isto porque, nesta terça, Mayra Pinheiro declarou que Manaus, nos primiros dias de janeiro deste ano, estava com Unidades Básicas de Saúde (UBSs) fechadas, sem médicos, medicamentos e até mesmo sem triagem de Covid-19. O atual prefeito David Almeida assumiu o comando do município no dia 1 de janeiro, após 8 anos de governo Arthur Neto.

Para justificar as acusações, Arthur disse que Mayra “está claramente mentindo na CPI da Pandemia” e que entregou sua “gestão com 67,28% de cobertura em Atenção Básica, o melhor dos últimos 13 anos”. “Criamos toda uma estrutura para atendimento preferencial aos casos suspeitos de Covid-19, com testagem, inclusive, em comunidades indígenas e áreas ribeirinhas”, disse ele.

Ainda para se defender, o ex-prefeito tentou jogar a responsabilidade para o governador Wilson Lima. “A prefeitura fez, e tem feito, sua parte. O problema nunca foi a Atenção Básica”, comentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Terra nega ‘gabinete paralelo’ e diz que STF ‘limitou’ Bolsonaro; senadores reagem

Capitão Carpê propõe PL que autoriza Guarda Municipal a fazer patrulhamento preventivo

Projeto de Lei prevê garantia de vagas a PCDs em cargos comissionados