Desembargador nega pedido de prisão do Ministério Público contra David Almeida

Manaus-AM | Por: Redação

O desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Délcio Luis Santos, indeferiu o pedido de prisão preventiva contra o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), apresentado pelo Ministério Público do Amazonas (MPAM) no caso dos ‘fura filas’.

Dentre o pedido de prisão de David, outras 20 pessoas também estariam no alvo do MP, como a secretaria de Saúde, Shadia Fraxe, segundo o Ministério, por estarem furando fila de vacinação contra a Covid-19 em Manaus.

Veja o despacho do desembargador:

“ Indefiro a liminar. Notifique-se a autoridade coatora do conteúdo da petição inicial, enviando-lhe a segunda via apresentada com as cópias dos documentos, a fim de que, no prazo de 10 (dez) dias, preste as informações, nos termos do art. 7º, I, da Lei nº 12.016/2009. CITE-SE o órgão de representação judicial da pessoa jurídica interessada, enviando-lhe cópia da inicial sem documentos, para que, querendo, ingresse no feito, nos termos do art. 7º, II, da Lei nº 12.016/2009. Após, dê-se vista ao Ministério Público para manifestação na qualidade de custos legis. À Secretaria para os fins devidos”, diz o despacho com a decisão de Décio Santos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em 2020, Arthur Neto gastou R$191 milhões em publicidade, aponta vereador Lissandro Breval

Dermilson Chagas denuncia guarita de meio milhão construída sem licitação por Amazonino Mendes

'Sem saúde, não há economia', diz Paulo Guedes sobre vacinação em massa