Prefeito nega irregularidade na vacinação contra a Covid-19 em Manaus

Manaus – AM – Na noite desta terça-feira (19), após denúncias de supostos desvios envolvendo o plano de vacinação contra o novo coronavírus (Covid-19), o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), negou irregularidades no processo. O pronunciamento foi feito por meio de transmissão ao vivo (live) no Facebook.

Os questionamentos foram iniciados nas redes sociais após duas jovens médicas, filhas de proprietários da Universidade Nilton Lins, terem sido vacinadas pela prefeitura e compartilharam o momento em seus perfis no Instagram. Além disso, um decreto da prefeitura da capital amazonense, do último dia 18, que oficializa Gabrielle Kirk Maddy Lins na função de Gerente de Projeto (DD4) na Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), também passou a circular nas redes sociais.

O chefe do executivo municipal afirmou que as duas beneficiadas em questão são médicas que integram um grupo de profissionais que precisou ser contratado diante do afastamento de aproximadamente 122 médicos.

“Conseguimos dez médicos, que pela primeira vez, foram nomeados no gabinete do prefeito. São vagas da prefeitura. Não dava tempo de fazer contrato. Contratamos e estão disponibilizados para trabalhar no combate a Covid-19. Nós tínhamos que colocar em funcionamento três unidades móveis… urgência, e mais a grande unidade da Nilton Lins.  E as médicas que foram imunizadas hoje estavam em serviço, estavam no seu plantão. Quando a equipe chegou na unidade, elas simplesmente tiraram o jaleco e foram vacinadas. Se encaixa perfeitamente naquilo que preconiza as normas ditadas pelo governo federal. Portanto a prefeitura não cometeu nenhum ato ilícito.”, relatou o prefeito.

Ainda de acordo com ele, 671 servidores foram vacinados em unidades básicas de saúde na tarde desta terça-feira.

“Hoje se cria uma polêmica muito grande. Ah, por que vocês não começaram pelas unidades…? Nós não podemos entrar nas unidades do estado sem autorização, sem um planejamento. Nós precisamos sair com um número x de vacinas, agora nós já temos. Amanhã nós vamos até o Hospital Delfhina Aziz… já montamos a nossa estrutura toda para iniciar a vacinação em profissionais nos grandes hospitais (do governo do estado).”, também relatou David Almeida.

Ainda de acordo com o prefeito, será publicada uma portaria proibindo postagem de fotos da vacinação dentro das unidades de saúde do município.

Juíza faz apelo sobre vacinação 

Ainda na noite desta terça, a juíza Jaiza Maria Pinto Fraxe, da Justiça Federal no Amazonas, fez um apelo no Twitter sobre a vacinação contra a Covid-19 em Manaus.

“Não furem a fila da vacina. Não deixem ninguém furar. Denunciem às autoridades federais competentes para as providências cabíveis. O povo do Amazonas não merece isso. Estamos lutando pelo direito constitucional à vida digna. Não sabotemos uns aos outros.”, escreveu a magistrada.

Nota do governo do Amazonas

O governo do estado informou por meio de nota que “a vacinação e o controle das pessoas que recebem as doses são responsabilidades das prefeituras. Ao Estado, cabe a entrega das vacinas para os municípios, de acordo com critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2 respostas

  1. É filha, as falcatruas começaram. Fora as 20 mil doses da vacina que já sumiram e as propagandas no rádio e na TV que custam milhões aos cofres públicos….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

'Ao fecharem o comércio, vem o desemprego', afirma Bolsonaro

Bolsonaro publica vídeo de empresária contra 'lockdown'

David Almeida cria PL que autoriza o município a comprar vacinas contra a Covid-19