Adjuto Afonso pede anistia para produtores e cooperativas junto à Afeam

Manaus-AM- O deputado Adjuto Afonso (PDT) encaminhou ao Governo do Estado Indicativo solicitando anistia de dívidas de produtores e de cooperativas que beneficiam produtos agroextrativistas, junto à Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), e que buscam crédito rural no programa Plano Safra 2021, executado pela Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror). O parlamentar também pediu a retirada de protestos junto aos órgãos e proteção ao crédito para que esses profissionais e empresas possam receber o benefício.

“Estou pedindo ao governo que possa anistiar as agroindústrias que hoje estão nos municípios beneficiando castanha, açaí, borracha, e outros do segmento, e que não tem condições, certamente, de pagar os financiamentos face ao longo período de pandemia que atravessamos. Estão gerando emprego no interior direto e indiretamente, mas, que, hoje, não têm condições de cumprir com esses compromissos, porque com a pandemia e depois a cheia, esses produtores ficaram sem fornecer os produtos e os empresários ficaram sem condições de pagar essas dívidas”, justificou o parlamentar.

A preocupação do deputado Adjuto Afonso abrange produtores agroextrativistas e cooperados que buscarem crédito rural junto ao Plano Safra, e que, se estiverem sob protesto, não poderão usufruir do benefício. “Convém exaltar a importância de um programa dessa natureza, que visa alavancar a produção do agronegócio e da agricultura familiar, fonte de renda significativa de parte da população. Faz-se urgente um incremento para estimular esses pequenos produtores”, disse o deputado.

 

*Com informações da assessoria de comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

'O gol mais bonito da história de Manaus', diz juíza federal sobre campanha de vacinação que usa Arena da Amazônia

Wilson Lima anuncia marca de 100 mil vacinados em menos de 28 horas da campanha

Após ideia de David Almeida, parlamentares defendem Guardas Municipais armadas no Amazonas