Vereador Sandro Maia era gestor do INCRA na época dos contratos investigados pela PF; Confira os nomes envolvidos

Manaus | AM

Na manhã desta quinta-feira (8), a Polícia Federal (PF) de flagrou a operação “Ínvio” que investiga esquemas de fraudes e corrupção no âmbito da prefeitura de Rio Preto da Eva. O vereador Sandro Maia (DEM), na época, era gestor do instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) onde foi realizado um Convênio entre a autarquia e a prefeitura da cidade.

A PF em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal (MPF), cumpriu 7 mandados de busca e apreensão nos municípios de Manaus, Rio Preto da Eva (AM) e Refice (PE).

O convênio em questão custou aos cofres públicos em 2017 valor de R$ 17 milhões, como pode ser observado no portal da transparência, e o intuito do uso dessa verba seria para a implantação e recuperação de infraestrutura básica em projetos de assentamento rurais, ou seja, pavimentação de ramais do município, e que foram repassados para duas empresas.

Conforme as investigações, em razão do pagamento por serviços não executados, inacabados ou de péssima qualidade, alcança o valor de mais de R$ 4 milhões, fora o superfaturamento nas contratações.

Nomes investigados

Confira a relação: Isarel Carvalho de Araújo, Francisco Rodrigues de Oliveira Lima, Cristiane Batista da Silva, Francisco Ribeiro Rocha, Gilson de Oliveira Passos Junior, José Lucas Araújo Felix, Jean Araújo Felix, MRP Excelso Serviços e Construções, CEPA Construções e Poços Ltda, Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

David Reis diz que vereadores decidirão se licitação das 41 pick ups vai continuar na CMM

Bolsonaro afirma que Governo Federal zerou impostos de medicamentos

Marcelo Ramos afirma que aumento do IOF é uma maldade com o povo brasileiro