PL mantém pedido para anulação de parte dos votos no segundo turno

Moraes havia decidido que informações sobre possíveis irregularidades também no primeiro turno fossem divulgadas dentro de 24 horas

PAÍS

Em resposta a decisão do ministro Alexandre de Moraes, o Partido Liberal (PL) enviou nesta quarta-feira (23) manifestação ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo que seja mantida a verificação apenas sobre o segundo turno eleitoral e que, caso o tribunal entenda necessário, adote providências sobre os dois turnos do pleito.

“A Coligação autora requer seja mantido como escopo inicial da Verificação Extraordinária o Segundo Turno da Eleição de 2022, e, uma vez constatado o mau funcionamento e a quebra de confiabilidade dos dados extraídos de parte das urnas eletrônicas utilizadas no pleito, esse Tribunal Superior Eleitoral então adote, de forma consequencial, observados Em resposta a decisão do ministro Alexandre de Moraes, o Partido Liberal (PL) enviou nesta quarta-feira (23) manifestação ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo que seja mantida a verificação apenas sobre o segundo turno eleitoral e que, caso o tribunal entenda necessário, adote providências sobre os dois turnos do pleito.

“A Coligação autora requer seja mantido como escopo inicial da Verificação Extraordinária o Segundo Turno da Eleição de 2022, e, uma vez constatado o mau funcionamento e a quebra de confiabilidade dos dados extraídos de parte das urnas eletrônicas utilizadas no pleito, esse Tribunal Superior Eleitoral então adote, de forma consequencial, observados os princípios do contraditório e da ampla defesa dos interessados, os efeitos práticos e jurídicos necessários para ambos os turnos das Eleições Gerais de 2022”, disse.

Segundo a sigla, as urnas eletrônicas utilizadas no primeiro turno foram usadas, também, no segundo turno das eleições de 2022, mas, de acordo com a equipe técnica do Instituto Voto Legal, “o log é o mesmo. O log é um só. O log começa no dia em que liga a urna e termina no dia em que desliga a urna”. princípios do contraditório e da ampla defesa dos interessados, os efeitos práticos e jurídicos necessários para ambos os turnos das Eleições Gerais de 2022”, disse.

Segundo a sigla, as urnas eletrônicas utilizadas no primeiro turno foram usadas, também, no segundo turno das eleições de 2022, mas, de acordo com a equipe técnica do Instituto Voto Legal, “o log é o mesmo. O log é um só. O log começa no dia em que liga a urna e termina no dia em que desliga a urna”.

“Ocorre que, neste momento embrionário, estender a verificação extraordinária pretendida também para o primeiro turno parece ser medida açodada, especialmente porque, como efeito prático, traria a própria inviabilidade da medida ora pretendida, em razão da necessidade de fazer incluir no polo passivo da ação todos os milhares de candidatos que disputaram algum cargo político nessas eleições, bem como seus Partidos, Coligações e Federações’, afirmou.

Na terça-feira (22), o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), e o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, entraram com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para pedir a anulação de parte dos votos feitos em cinco modelos de urnas no segundo turno das eleições de 2022. A alegação é de que houve “desconformidades irreparáveis de mau funcionamento” em determinados modelos.

Após o requerimento, o ministro Alexandre de Moraes deu prazo de 24 horas para o partido apresentar também dados sobre supostos defeitos nas urnas durante o primeiro turno.

Foto: Divulgação 

Com informações de CNN*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nós usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.