Oposição critica, mas não contribui de forma concreta para combater a pandemia do novo coronavírus

Deputados de oposição criticaram, mas não ofereceram ações concretas na sessão extraordinária da Assembleia Legislativo do Estado (ALEAM), nesta terça-feira (19)

Manaus | AM

Os deputados estaduais Wilker Barreto, Dermilson Chagas, Delegado Péricles, Josué Neto e Fausto Júnior reapareceram, nesta terça-feira (19), durante sessão extraordinária da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM) e após as festas de final de ano, para tecer críticas em torno do plano de contenção à Covid-19, no Amazonas. Sem sugerir ações concretas e que pudessem ajudar a força-tarefa montada no Estado, os deputados de oposição usaram seu tempo para desferir xingamentos contra o governo.

Nas redes sociais, o deputado Péricles reproduziu as informações do governo federal. Nesta semana, ele deu destaque ao envio de vacinas pelo Ministério da Saúde, para combate do novo coronavírus. Ele só não disse que se não fosse o governador de São Paulo, João Dória, ter fechado contrato com o laboratório chinês ainda em 2020, o País não teria vacina, porque o presidente Jair Bolsonaro, líder político de Péricles, sempre tentou boicotar a vacina. Chegou a debochar, dizendo que quem tomasse o imunizante chinesa, poderia se transformar em jacaré.

Wilker e Dermilson mantêm a linha inaugurada desde quando o líder político deles, o ex-governador Amazonino Mendes, que perdeu a eleição para Wilson Lima, em 2018. A dupla nunca aceitou ficar fora do poder.

Dermilson, por exemplo, foi líder de Amazonino, na ALEAM, quando esse esteve no mandato ‘tampão’ de governador. Nesse período, o parlamentar não falava nada do governo, nem mesmo da área da saúde, que acumulava dívidas com fornecedores e empresas médicas.

Wilker foi candidato a vice na chapa de Amazonino nas eleições municipais de 2020, que voltou a perder nas urnas em Manaus, desta vez para o prefeito David Almeida. Debaixo da imunidade parlamentar, Wilker e Dermilson destilam ofensas ao governador e aos integrantes da Saúde do Estado. Esquecem que o mundo vive uma pandemia, causada por um vírus que até 1 ano atrás sequer era conhecido da ciência.

Josué Neto, depois de ganhar a indicação para cargo vitalício de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), no ‘apagar das luzes’ da Assembleia em dezembro passado, sumiu de vez.

Já Fausto Júnior segue o ritmo de sempre. A passos lentos e sem nenhuma realização de destaque no mandato, ele até pouco tempo atrás, era aliado de primeira hora de Wilson Lima. Com os momentos de crise gerados pela pandemia, passou para a oposição.

Enquanto uma corrente internacional de solidariedade se sensibilizou com a crise imposta pela pandemia no Amazonas, Wilker, Dermilson, Péricles, Josué Neto e Fausto se ‘esconderam’ em suas casas. Assistiram e assistem a tudo inertes, apenas criticando, como se diz no dito popular, como ‘engenheiros de obra pronta’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Portugal reconhece certificados de vacinação emitidos pelo Brasil

Governo federal cria programa para expandir telecomunicações na Amazônia

Cartórios eleitorais do interior do AM voltam a atender presencialmente