MP Eleitoral segue com o planejamento para as últimas semanas antes do Pleito 2020

Questões como segurança, material de segurança dos mesários e aglomerações no interior foram abordadas durante reuniões, nesta quarta-feira (21)

Manaus | AM | Com informações da assessoria de imprensa

O Mistério Publico do Amazonas (MP-AM), representado pelo procurador de Justiça Mauro Veras, participou, nesta quarta-feira (21), de reuniões com os promotores eleitorais da capital e com o procurador regional eleitoral, Rafael da Silva Rocha, onde foram debatidos assuntos acerca das eleições municipais que acontecerão nos dias 15 de novembro (1º turno) e 29 de novembro (2º turno).

Na reunião com os promotores eleitorais da capital, assuntos como os plantões eleitorais e a divisão dos trabalhos das promotorias para a atuação no dia do pleito, onde o MP-AM exerce função primordial na fiscalização e na defesa do regime democrático.

“O Ministério Publico tanto na capital quando no interior, tem a função primordial de assegurar a livre vontade do eleitor, de que sua escolha não seja interferida e que os colegas promotores possam desempenhar essa fiscalização do processo eleitoral”, comentou o procurador Mauro Veras, que assumiu a coordenação do Centro de Apoio Operacional das Promotorias Eleitorais (CAOPE).

Veras ressaltou, ainda, a preocupação com a propagação da Covid-19 no interior, onde estão sendo realizados comícios de forma presencial. “Fizemos algumas avaliações referentes ao trabalho das promotorias do interior, especialmente nesse período de pandemia, pensando em uma possível recomendação conjunta a ser encaminhada pelos promotores eleitorais de cada zona eleitoral, para que passem a fiscalizar de uma forma mais intensa a fim de coibir o aumento na contaminação da Covid-19”, afirmou.

Nas pautas debatidas, os procuradores abordaram, também, a segurança nas comarcas do interior e até mesmo na capital, pensando nos efetivos policias que terão que se deslocar para o interior. Foi abordado, também, a questão do material de segurança dos mesários e de todo o efetivo que vai trabalhar diretamente nas eleições, a fim de saber como o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) vai proceder no fornecimento desses matérias tanto para a capital quanto para o interior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Portugal reconhece certificados de vacinação emitidos pelo Brasil

Governo federal cria programa para expandir telecomunicações na Amazônia

Cartórios eleitorais do interior do AM voltam a atender presencialmente