Ex-líder do governo Dilma, Eduardo Braga tenta ‘surfar’ na onda bolsonarista de recuperação e ampliação da BR-319

Braga foi, entre 2003 e 2010, governador do Amazonas e não buscou, junto ao Governo Federal, insumos para dar continuidade na BR-319

Manaus | AM

O senador da República e ex-ministro de Minas e Energia do governo Dilma Rousseff, Eduardo Braga (MDB) teve a ‘faca e o queijo na mão’, entre período de 2003 a 2010, como governador do Amazonas para atuar na recuperação e ampliação da BR-319, estrada que liga Manaus a Porto Velho (RO), mas não o fez e, agora, tenta ‘surfar’ no governo Bolsonaro que tem destinado verba para asfaltar o ‘famoso’ trecho do meio (405 quilômetros) e o Lote C (52 quilômetros).

Recentemente, Braga utilizou suas redes sociais para falar da falta de humanidade em não dar ‘vazão’ a BR. “É desumano não asfaltar a BR-319”. Além disso, ultimamente, fica se vangloriando que está destinando verbas federais para a manutenção da rodovia.

O senador Eduardo Braga e a ex-presidente Dilma Rousseff (Imagem: Divulgação)

Ao ser questionado por um internauta sobre os inúmeros políticos que já utilizaram o tema 319 como palanque eleitoral, Braga respondeu que enquanto governador pavimentou mais de 1 mil quilômetros em estradas estaduais e disse, ainda, que o Governo do Estado não possui autonomia para recuperar estradas federais.

Porém, enquanto ministro, Braga poderia ter agido diretamente junto a Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), pasta vinculada ao Ministério da Infraestrutura e Transportes (Minfra), na reconstrução da rodovia. No entanto, conforme dados do Portal da Transparência, Braga não realizou uma licitação para jogar uma pá de piche (breu) ou ajudou o Governo Federal na manutenção da estrada.

Anel viário

Na contramão de Braga, o atual governador Wilson Lima anunciou, no ano passado, a construção de um anel viário em Humaitá que terá 11,58 quilômetros e interligará a BR-319 ao porto graneleiro da cidade. O projeto contempla a realização de serviços de terraplanagem, meio-fio, sarjeta, galerias, bueiros, dissipadores de energia, acostamento, compactação e pavimentação, bem como sinalização vertical e horizontal.

Ao longo de 2020, Wilson Lima também manteve tratativas com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, e chegou a lançar a licitação do Lote C, que está em andamento pela superintendência do Dnit.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bolsonaro cobra pedidos de impeachment de ministros do STF a senador Jorge Kajuru

Vereador Caio André cobra reabertura do CSU do Parque 10

Internautas chamam a atenção de deputado Dermilson Chagas em rede social