Em evento pró-Bolsonaro, Menezes diz que duvida que alguma empresa vá deixar o Polo Industrial de Manaus

Segundo o pré-candidato ao Senado, os decretos de IPI impactam a Zona Franca, mas não acabam com o modelo

Manaus | AM

Durante a motociata realizada por movimento de direita do Amazonas em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL), o pré-candidato ao Senado, Coronel Menezes (PL), afirmou que os decretos federais que mexeram nas alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), impactam a Zona Franca de Manaus (ZFM), mas não vão afastar as empresas e nem acabar com empregos no Polo Industrial de Manaus (PIM).

“Não tem nada de negativo em relação ao IPI. Nós temos que esclarecer a sociedade é que nós, amazonenses, estamos sendo enganados nos últimos 40 anos com uma narrativa de um grupo político que diz que vem defendendo o modelo e que não fez absolutamente nada para construir outras matrizes econômicas. Eu duvido que alguma empresa vá sair do Polo Industrial de Manaus e nós vamos perder empregos. Tem impacto? Tem, mas não para se fechar e acabar a Zona Franca que foi um modelo criado por nós militares”, afirmou ao PODER.

O militar da reserva do Exército Brasileiro destacou, ainda, que é preciso que os amazonenses elejam pessoas comprometidas com o futuro econômico do estado.

“A sociedade tem que cobrar e colocar nas próximas eleições gestores que se comprometem a construir outras oportunidades para o manter o emprego e a renda do nosso povo”, disse.
Manifestação.

703ee6bb ca41 4c06 8e9e 875f4ae98312
Foto: Neto Silva/O Poder

A manifestação em Manaus teve início na Bola do Produtor, por volta das 15h30, com uma motociata que se encerrou na Ponta Negra, onde outros manifestantes já estavam concentrados desde às 15h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Justiça nega pedido para adiar leilão do Amazônia Golf Resort, marcado para esta quarta-feira

TCE-AM multa ex-presidente da Câmara de Beruri por falta de transparência

'Modernização do setor elétrico inclui energia mais barata', diz Ipea

Nós usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.