‘Ele não faz mal só a mim, ele faz ao povo do Amazonas’, diz Marcelo Ramos sobre Bolsonaro

O vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos, falou, ainda, sobre a aprovação do Fundo Eleitoral e que tem cumprido seu papel com responsabilidade

Manaus | AM

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL), disse nesta terça-feira (20), durante entrevista ao ‘JORNAL DA CIDADE’, da Rede Norte Digital, que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), não faz mal somente a ele, mas ao povo do Amazonas e afirmou que o chefe do Executivo Federal “tenta terceirizar as responsabilidades”.

Bolsonaro e Ramos têm se ‘alfinetado’ desde a aprovação do aumento do Fundo Eleitoral, na última quinta-feira (15), que passa de R$ 2 bilhões para R$ 5,7 bilhões os recursos públicos para financiar campanhas eleitorais em 2022.

Segundo o deputado federal, o presidente da República encaminhou para a Câmara dos Deputados a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), no entanto, não existia o texto do Fundo Eleitoral. “Na Comissão Mista de Planos do Orçamento, que eu não faço parte, não participei de nenhuma reunião”, comentou Ramos.

Ainda segundo o parlamentar, na Comissão Mista de Orçamento, o líder do governo Bolsonaro no Senado, Eduardo Gomes (MDB-SE); o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR); o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL) e os líderes de partido da base da sustenção do governo fizeram um acordo e incluiram no relatório do deputado Juscelino FIlho (DEM-MA) esse valor que não é R$ 5,7 bilhões, mas sim 25%.

Conforme o vice-presidente da Câmara dos Deputados, o líder do governo fez uma manobra regimental e pediu votação nominal no texto principal da LDO para que o destaque do Novo, que retirava o Fundo Eleitoral não pudesse ser nominal, porém, na votação simbólica todos os partidos orientaram como sua bancada votaria e apenas cinco partidos orientaram para o destaque do Novo.

“Todos os partidos da base do governo e o líder do governo encaminharam contra o destaque do Novo, portanto, à favor do Fundo Eleitoral. Como a repercurssão foi muito ruim nas redes sociais, o presidente tenta terceirizar as responsabilidades. Cumpri meu papel, tenho muita tranquilidade, tenho certeza que essas ofensivas das milícias digitais dele não vai se sobrepror a verdade”, afirmou Ramos.

Ataques ao Amazonas

Marcelo Ramos também afirmou que Bolsonaro não está atacando somente alguns parlamentares do Estado, mas sim, alguns ataques são direcionados para o Amazonas, principalmente quando o presidente visa mexer nos interesses da Zona Franca de Manaus (ZFM) ou destinando dinheiro para construir alguns quilômetros da Rodovia BR-319.

“Se ele tivesse cuidado da nossa gente quando estava morrendo por falta de oxigênio, ouviria a crítica dele caladinho no meu canto. O problema é que ele não faz mal só a mim, ele faz ao povo do Amazonas, e sempre tenta transferir responsabilidade. Quando as pessoas estavam morrendo por falta de oxigênio aqui, ele estava brincando com a morte das pessoas”, frisou Ramos.

Esperança

De acordo com o deputado, atualmente, o Brasil precisa de esperança e um pactor nacional na reconstrução da Economia. “O cidadão que está em casa, sem comida, que está desempregado, vê que essa briga não resolve nada na vida dele. Para mim, é um constragimento e irresponsabilidade do cargo que o presidente ocupa”, finalizou o parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CPI: reverendo Amilton de Paula diz que não negociou vacinas

TJAM publica nomeação de mais 14 candidatos aprovados no concurso de 2019

Comissão aprova pensão para filhos afastados de pais com hanseníase antes de 1986