Depoimentos de prefeitos ex-prefeitos na CPI da Pandemia estão sem data definida

Há, ainda, uma expectativa em torno da convocação do ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto, gestor da capital do Estado durante a primeira onda da Covid-19

Manaus | AM

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia ainda não tem uma data definida para ouvir os prefeitos e ex-prefeitos das capitais que mais tiveram problemas no sistema de saúde devido ao surto do novo coronavírus (Covid-19), segundo informações da assessoria de imprensa do presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD).

Como o calendário de depoimentos já estava fechado até o dia 17 de junho e ocorrerá novas convocações tudo será reorganizado pela comissão de senadores, adiantou a assessoria.

Há, ainda, uma forte especulação em torno da convocação do ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto, que foi alvo de graves acusações feitas pela secretária de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como ‘Capitã Cloroquina’. Nesta terça-feira (26), ela revelou que durante sua passagem pela capital do Estado, constatou que diversas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estavam fechadas, sem médicos, medicamentos e até mesmo sem triagem de Covid-19.

Covid-19: ‘Capitã Cloroquina’ revelou que Manaus estava sem médicos e com UBSs fechadas, em janeiro

Nesta quarta-feira (26), os senadores que compõe a CPI aprovaram as convocações dos governadores Wilson Lima (AM), Helder Barbalho (PA), Ibaneis Rocha (DF), Mauro Carlesse (TO), Carlos Moisés (SC), Antonio Denarium (RR), Waldez Góes (AP), Marcos Rocha (RO) e Wellington Dias (PI), além do ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deputado Roberto Cidade solicita à Prefeitura de Manaus revisão do Plano Diretor

‘O sucesso do mutirão de vacinação em Manaus é uma resposta aos negacionistas’, diz Serafim

Doadores de sangue são homenageados na Câmara de Manaus