Após se dizer injustiçado, família de Flávio Rodrigues manda recado a Arthur Neto: ‘Quem está sofrendo injustiça somos nós’

Ana Gláucia Rodrigues, sobrinha do engenheiro Flávio Rodrigues, fez um desabafo contra o artigo de Arthur Neto que se diz alvo de perseguição política

Manaus | AM

Nesta terça-feira (29), o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), por meio da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus, deu início a audiência de instrução referente à Ação Penal que trata do homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos – ocorrido em setembro de 2019 – e que tem como réus Alejandro Molina Valeiko e Paola Molina Valeiko, ambos enteados do ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto.

Porém, no dia 21 de julho, Arthur Neto escreveu um artigo com o título ‘Injustiça não’, onde ele afirma ser vítima, juntamente com sua família, de perseguiça política. O escrito surgiu após o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) iniciar uma investigação de concessão de vantagens indevidas a servidores lotados na Casa Civil do Município, quando está foi comandada por Lourenço dos Santos Braga, e consequentemente Arthur Neto.

Associação do MP-AM repudia ataques de Arthur Neto contra o órgão

A investigação concluiu que foram concedidas gratificações ilegais por produtividade de até 500% sobre o valor da remuneração regular de 11 servidores da Casa Civil entre 2013 e 2019. Arthur, no artigo, diz que não reconhece nenhum dos beneficiados e que não assinou nenhum dos atos, ‘jogando’ a culpa para o vice-prefeito da época e também atual, Marcos Rotta, e para um vereador que, em período eleitoral, teria substituído o ex-prefeito em face de viagem feita para fora do Amazonas.

Logo após a publicação do artigo, Ana Gláucia Rodrigues, familiar do engenheiro Flávio Rodrigues, compartilhou o texto de Arthur Neto acompanhado de um desabafo. “Injustiça. Olha eu não sei nem o que falar com esse texto enorme do Arthur Virgílio Neto. Quem está sofrendo injustiça e impunidade somos nós, que perdemos um tio, primo, filho, irmão, padrinho, amigo e um ser amado por todos os familiares e amigos”, escreveu ela.

arthur neto

E completou: “E de uma forma cruel e mostruosa o senhor Arthur Virgílio Neto denegriu a imagem do meu tio depois de assassinado, em sua rede social. Lembra do ‘Caso do engenheiro Flávio’?”, questionou ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tony Medeiros se irrita com colegas e pede para vice da ALEAM encerrar sessão

Licenciamento para mercado de gás natural proporciona geração de renda e emprego no Amazonas

Estados e municípios tiveram superávit de R$ 42,9 bilhões em 2020, o maior da série histórica