Após participação de Fausto Jr na CPI da Pandemia, comissão pede quebra de sigilo de deputado e de sua mãe, conselheira do TCE-AM

A participação de Fausto Jr. na CPI da Pandemia foi tumultuada e levantou suspeitas sobre a condução de sua relatoria frente a CPI da Saúde no Amazonas

Manaus | AM

Após a tumultuada participação na Comissão de Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, nesta terça-feira (29), o deputado Fausto Jr. (MDB) e sua mãe, conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), Yara Lins, poderão ter seus sigilos quebrados a pedido da comissão.

De acordo com os senadores, a quebra do sigilo tem por objetivo investigar as ações do deputado enquanto relator da CPI da Saúdo no Amazonas, da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM), em 2020, e que tinha como presidente, o deputado Delegado Péricles (PSL)

Nesta terça, Fausto Jr. foi ouvido, em Brasília, e interrogado pelos membros da CPI da Pandemia que questionaram o motivo pelo qual o deputado não indiciou o governador Wilson Lima, diante das supostas provas coletadas no âmbito da comissão.

O senador Omar Aziz levantou suspeita sobre o enriquecimento de Fausto Jr. e de sua famílai, incluindo o de sua mãe, a conselheira Yara Lins, a partir de suspeitas de ligações com empresas que também estão na listas dos senadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carlinhos Bessa agradece Wilson Lima por CETI de Tefé

TCE-AM muda para quarta-feira o julgamento das contas de ex-gestores de Arthur Neto e Amazonino Mendes

Câmara pode votar nesta terça-feira MP sobre suspensão de contratos de trabalho na pandemia