Ao lado de Arthur Neto, Elizabeth Valeiko e Carlos Almeida, João Dória visita Manaus e diz que não veio falar de prévias

Segurando o ex-prefeito Arthur Neto pelo braço, o governador de São Paulo, João Dória, criticou Jair Bolsonaro, Luiz Inácio Lula da Silva e muda discurso: "Sou franca e amplamente a favor da Zona Franca"

Manaus | AM

Às vésperas de disputarem as prévias presidenciais do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), o ex-prefeito Arthur Neto, e o governador de São Paulo, João Dória, estiveram juntos, no início da sábado (11), durante coletiva de imprensa, no Da Vinci Hotel & Conventions, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul da capital. Na oportunidade, também estiveram presentes a ex-primeira-dama Elizabeth Valeiko e o vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida.

João Dória chegou segurando Arthur Neto pelo braço. Cumprimentou apoiadores e fez fotos com entusiastas. “Estamos envolvidos no processo de prévias do partido, e o partido escolheu Dória, Arthur, Eduardo Leite e Tasso (Jereissati). Aqui não é aliança, é uma união do partido para ficar grande”, justificou o chefe do Executivo Estadual de São Paulo. Vale ressaltar que o nome de Eduardo Leite tem sido tratado como uma possível terceira via.

Internautas criticam tentativa de Arthur Neto de ‘faturar’ após BR-319 ceder

Durante sua fala, Arthur Neto disse que o “Brasíl tem saída” e que é preciso “investir em pesquisa para encontramos o caminho para o desenvolvimento”. “Não podemos tolerar garimpeiros trabalhando nessa terra. O PSDB não vai tolerar garimpeiros destruíndo nossa floresta”, disse ele, atribuindo o fato de estar concorrendo contra Dória nas prévias do partido, a ex-primeira-dama Elizabeth Valeiko. “Você é um homem de muito diálogo. Se não fosse a ‘Betinha’, estava com você”.

Dória destacou que a vinda a Manaus é para homenagear Arthur Neto, e não para tratar da campanha das prévias. “Tenho alegria e satisfação de ver que o nosso partido realiza prévias a nível nacional, e com quatros bons nomes. Nós não brigamos, não nós atacamos e estamos juntos como estamos aqui, numa democracia”, declarou.

joão dória
O governador de São Paulo, João Dória, e o ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto

O governador de São Paulo aproveitou o momento e atacou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), quem ele apoiou nas Eleições de 2018. “É triste saber que um líder que deveria defender o Brasil, preservando a floresta, não faz. Se Arthur ou eu formos eleitos, defender a floresta será mandatório. Aqui, no Amazonas, vamos fazer um programa de reaproveitamento sustentável e biodiversidade”, adiantou.

Renan Valeiko, irmão de Alejandro e enteado de Arthur Neto, se filia ao PSDB

Disucrso diferente

Diferentemente do que fez em 2019, quando encomendou via TV Cultura uma matéria atacando a Zona Franca de Manaus (ZFM), neste sábado, João Dória se disse a favor do Polo Industrial de Manaus (PIM). “Sou franca e amplamente a favor da Zona Franca. A Zona Franca tem que ser revitalizada. Não vejo conflito. Onde for preciso fazer mudanças, faremos. Mas não destruir a ZFM”. Inclusive, à época, a encomenda da matéria teria sido um dos fatores do rompimento de contrato entre a agora TV Encontro das Águas e a TV Cultura.

Plínio Valério comunica saída da executiva do PSDB Amazonas após filiação de Carlos Almeida

Ainda durante seu discurso, Dória afirmou que Lula afundou o Brasil e que o presidente Bolsonaro também fez o mesmo. “O PSDB vai ter candidado à presidência, e quem for vencedor terá o apoio do outro. O candidato do PSDB que vencer as prévias, deve sim dialogar com outros partidos. Segundo o Data Folha, os brasileiros querem um candidato de Centro”, disse.

A coletiva encerrou com a fala do vice-governador Carlos Almeida. A presença do senador Plínio Valério, que é filiado ao PSDB, foi sentida, mas não comentada. Em seguida, o ‘alto clero’ do partido seguiu para um almoço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

David Reis diz que vereadores decidirão se licitação das 41 pick ups vai continuar na CMM

Bolsonaro afirma que Governo Federal zerou impostos de medicamentos

Marcelo Ramos afirma que aumento do IOF é uma maldade com o povo brasileiro