AM tem segundo maior crescimento percentual na abertura de negócios no 2º quadrimestre de 2020

A informação é do Boletim do Mapa de Empresas - 2º Quadrimestre, divulgado na quinta-feira (17), pela Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia

Manaus | AM | Com informações da assessoria de imprensa

O Amazonas ficou em segundo lugar entre os estados brasileiros que apresentaram os maiores crescimentos percentuais na abertura de negócios, no período de maio a agosto, em comparação ao primeiro quadrimestre de 2020 – com um aumento de 16,6%. A informação é do Boletim do Mapa de Empresas – 2º Quadrimestre, divulgado na quinta-feira (17), pela Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia.

Os dados do boletim mostram ainda que a Junta Comercial do Estado do Amazonas (Jucea) registrou, de maio a agosto, um total de 13.578 novas empresas. O número representa uma variação de 16,6%, em relação ao primeiro quadrimestre de 2020, e de 21,3%, em relação ao 2º quadrimestre de 2019. Segundo o boletim, o avanço dos números do Amazonas se destaca em contraponto ao primeiro quadrimestre de 2020, quando havia registrado um maior crescimento no número de empresas fechadas.

“O destaque é o Amazonas, que na edição anterior, era o estado com maior proporção de empresas fechadas. Neste quadrimestre, mostra-se em recuperação de forma ágil”, disse secretário Nacional do Governo Digital, Luis Felipe Monteiro, durante coletiva de imprensa de apresentação do boletim do 2º Quadrimestre, do Mapa de Empresas, na quinta-feira.

De acordo com a presidente da Jucea, Maria de Jesus Lins, a partir do relatório será possível verificar quais medidas precisarão ser tomadas para que a autarquia amazonense melhore o tempo de espera do cidadão e o ambiente de negócios no Amazonas.

“Trabalhamos diariamente para melhorarmos os nossos serviços. Estamos em constantes atualizações para simplificarmos a abertura de empresas no nosso estado e, consequentemente, colaborar para que o ambiente de negócios no Amazonas seja mais atrativo. E acredito que isso seja possível pelo trabalho de apoio ao empreendedor que vem sendo realizado pelo Governo do Estado”, afirmou Maria de Jesus Lins.

Para a elaboração do relatório, a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia analisa os dados de registro mercantil das juntas comerciais dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisador do AM desqualifica pesquisa do Ibope e diz que números são 'fantasiosos'

TRE-AM recebe inscrições de juízes para cinco zonas eleitorais

Chico Preto utiliza de redes sociais para apresentar propostas detalhadas