Wilson Lima se solidariza com vítima fatal do acidente de Manacapuru

Vivian Ramos tinha 24 anos de idade, e foi a primeira vítima fatal do acidente ocorrido na último domingo (28), que deixou mais de 20 feridos - alguns em estado grave. Todas as vítimas estavam em uma alegoria que despencou de um guindaste que estava a 10 metros do chão

Manaus | AM

O governador Wilson Lima (União Brasil), prestou solidariedade na manhã deste domingo, (4), à família da vítima fatal do acidente ocorrido em Manacapuru. Vivian Ramos da Silva tinha 24 anos de idade e estava internada há uma semana, após despencar de uma alegoria que estava presa em um guindaste.

948f1886 1a3f 4146 8361 3b90054a757c

O acidente, ocorrido na noite do domingo passado (28), deixou mais de 20 feridos – alguns em estado grave. Todas as vítimas estavam em uma alegoria que despencou de um guindaste.

Em nota, o Governo do Amazonas informou, na manhã deste domingo (4), que a vítima estava internada no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, Zona Centro-Sul de Manaus. “O Governo do Amazonas lamenta o falecimento e se solidariza à família e amigos”, disse o estado.

“Lamento profundamente a morte de Vivian Ramos, vítima do acidente que aconteceu durante a apresentação da cirando Flor Matizada, em Manacapuru. Minha solidariedade à família e amigos, com quem me uno em orações. Seguimos dando todo o suporto às outras vítimas do ocorrido”, escreveu o governador em seu Twitter.

A jovem que morreu era “cirandeira”, como são chamados os brincantes do Festival das Cirandas de Manacapuru. Ela era autônoma, mas no dia do acidente atuava como dançarina da Flor Matizada, uma das três cirandas que disputam o festival.

Vítimas internadas

Em nota divulgada na sexta-feira, o Governo do Estado afirma que 23 pessoas ficaram feridas após o acidente. A Rede Amazônica apurou que foram 24 vítimas: 20 dançarinos; 3 artistas e 1 técnico.

Neste domingo, o Governo do Amazonas informou que 16 vítimas do acidente seguem internadas.

Dois pacientes estão internados no 28 de Agosto. Outros quatro pacientes que estavam na unidade e apresentavam quadro de saúde sem gravidade foram transferidos para a Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), referência para tratamento ortopédico, onde irão aguardar a realização de procedimentos cirúrgicos.

Nos HPS Platão Araújo e João Lúcio permanecem internados três pacientes em estado grave e cinco pacientes com quadro de saúde estável.

No Hospital Regional de Manacapuru, um paciente recebeu alta hospitalar e outro segue internado recebendo acompanhamento, conforme informou a secretaria de saúde do município (Semsa).

Há, ainda, um paciente que está internado em unidade da rede privada na capital.

O acidente

O acidente aconteceu na noite de domingo durante a apresentação da Ciranda Flor Matizada, que encerrava as apresentações do festival. A edição de 2022 tinha começado na sexta-feira (26), com a apresentação da Ciranda Guerreiros Mura. No sábado, houve apresentação da Ciranda Tropical, mas um temporal interrompeu a apresentação.

Vídeos que registraram o momento do acidente mostram que uma alegoria que estava suspensa pelo guindaste despencou de uma altura de aproximadamente 10 metros. Eu em um dos vídeos, é possível ver quando a ponta do guindaste enverga, levando a alegoria ao chão.

Também é possível observar que a estrutura caiu porque o cabo que segurava a alegoria acabou descendo depois que a ponta do guindaste envergou.

Ao todo, 23 pessoas ficaram feridas. Todas as vítimas estavam dentro da alegoria. Logo após o acidente, as vítimas foram atendidas ainda dentro da arena do festival. Parte delas foi levada para o hospital de Manacapuru e outros feridos foram transferidos para Manaus.

Acidente com guindaste deixa feridos durante Festival de Cirandas de Manacapuru, AM

Investigação

O Departamento de Polícia Técnico-Científica do Amazonas (DPTC-AM) está investigando as causas do acidente. Os peritos estiveram na cidade de Manacapuru na segunda-feira (29).

De acordo com a diretora do DPTC, Margarete Vidal, foi constatada uma deformidade na estrutura do guindaste, mas ainda não é possível esclarecer a causa do acidente. O parecer definitivo sobre o que causou o acidente deve sair em 10 a 15 dias.

“O que podemos afirmar no momento é que houve uma deformidade da extremidade do guindaste que segurava aquela estrutura que caiu. Diante do que for encontrado hoje talvez seja necessário agregar mais peritos”, disse Margarete, em coletiva de imprensa na segunda-feira (29).

O Ministério Público do Amazonas (MPAM) também instaurou um procedimento para apurar a responsabilidade pelo acidente. A instauração do procedimento, por meio das três promotorias de Justiça, foi anunciada pelo promotor João Guimarães, na quarta-feira (31).

Festival de Cirandas

O Festival de Cirandas e Manacapuru ocorre anualmente na cidade de mesmo nome. Três agremiações – Flor Matizada, Guerreiros Mura e Tradicional – se apresentam e disputam o título de ciranda campeã.

O evento é considerado o segundo maior festival folclórico do Amazonas. O primeiro é o Festival de Parintins.

Por causa da pandemia da Covid-19, o evento estava suspenso há dois anos. Após acidente ocorrido na noite de domingo, o 24º Festival de Cirandas de Manacapuru não terá título de campeão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nós usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.