Paciente de 100 anos recebe alta hospitalar e deixa hospital em Roraima

O Estado de Roraima registra mais uma vitória na luta contra o Coronavírus (COVID-19). Uma pessoa de 100 anos de idade recebeu alta hospitalar e deixou o HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento). Neste domingo, outros 11 pacientes que reagiram bem ao tratamento contra a doença também estão recebendo alta hospitalar e […]

24/05/2020 16:33

Comunicar Erro

O Estado de Roraima registra mais uma vitória na luta contra o Coronavírus (COVID-19). Uma pessoa de 100 anos de idade recebeu alta hospitalar e deixou o HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento).

Neste domingo, outros 11 pacientes que reagiram bem ao tratamento contra a doença também estão recebendo alta hospitalar e devem deixar o HGR, seguindo para a fase de recuperação em casa.

Até agora, o Estado já possui 656 pessoas com diagnóstico de cura para a doença.

“Para nós, essa é uma notícia muito boa e importante nesse momento tão delicado da pandemia. Estamos trabalhando dia e noite, com dedicação exclusiva para a força-tarefa montada para o enfrentamento dessa doença, atendendo à preocupação do governador Antonio Denarium. E saber que há pacientes se recuperando e seguindo para o convívio familiar, nos deixa otimistas e com a certeza da superação desse momento tão difícil”, ressaltou o secretário de Saúde, coronel Olivan Junior.

A pessoa de 100 anos de idade deu entrada no HGR e recebeu diagnóstico precoce de infecção por COVID-19. Ficou sob os cuidados médicos, com todo o acompanhamento da equipe multiprofissional do Hospital.

De acordo com a médica infectologista Alessandra Martins, ao receber a alta hospitalar, o paciente conclui a primeira etapa do tratamento que é sair da fase de necessidade de acompanhamento na unidade, mas deve seguir a segunda fase da recuperação que é manter as medidas de prevenção, durante o isolamento domiciliar.

“É importante deixar claro que é preciso manter o período de isolamento domiciliar, para que esse paciente alcance o período necessário para a recuperação total”, enfatiza.

A infectologista reforça que o isolamento domiciliar é necessário, seguindo os protocolos estabelecidos pelo MS (Ministério da Saúde). “Ao receber alta hospitalar, o paciente sai da condição de vulnerabilidade, mas deve manter os cuidados recomendados pelo MS, uma vez que pode voltar a apresentar sinais e sintomas compatíveis para internação, bem como ser agente transmissor do vírus, por isso é tão importante que fique em casa”, reforça a médica.